Tempo
|
A+ / A-

Covid-19

Farmacêuticas GSK e CureVac querem desenvolver "próxima geração da vacina"

03 fev, 2021 - 08:44

Querem desenvolver "uma vacina que responda às variantes que possam surgir durante a pandemia".

A+ / A-

A britânica GSK e a alemão CureVac anunciaram que vão desenvolver em conjunto uma vacina contra o novo coronavírus que esperam estar pronta em 2022.

Em comunicado, as farmacêuticas referem que têm como objetivo desenvolver "uma vacina que responda às variantes que possam surgir durante a pandemia".

Neste momento, a investigação vai ter como "alvo" as variantes que já foram detetadas e outras que podem vir a surgir, indica o documento divulgado hoje.

O laboratório GSK (GlaxoSmithKline) através do mesmo comunicado acrescenta que, numa primeira fase, vai apoiar durante 2021 a produção de uma primeira vacina que já foi desenvolvida pela farmacêutica CureVac e que já se encontra na "fase 3" dos ensaios clínicos.

As duas empresas já têm vínculos estabelecidos, desde julho de 2020, altura em que a GSK adquiriu 10% do capital da biotecnológica alemã CureVac.

Os trabalhos vão começar de imediato sendo que as empresas esperam obter resultados em 2022, desde que obtenham "luz verde" das autoridades sanitárias.

O acordo prevê um investimento de 150 milhões da GSK na empresa alemã e que vai permitir aos britânicos obter os direitos da nova vacina para todos os países, exceto Alemanha, Áustria e Suíça.

"Nós pensamos que a 'próxima geração da vacina' vai ser crucial na luta que continua contra o Covid-19", disse Emma Walmsley, diretora geral da GSK.

A pandemia provocou, pelo menos, 2,2 milhões de mortos resultantes de mais de 103,3 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo o último balanço feito pela agência francesa AFP.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+