Tempo
|
A+ / A-

Pfizer-BioNTech garante mais 75 milhões de vacinas para a UE

01 fev, 2021 - 09:48 • Redação com agências

A UE está atrasada no processo de garantir a vacinação dos seus 450 milhões de habitantes, em comparação com o Reino Unido e os Estados Unidos.

A+ / A-

Veja também:


A norte-americana Pfizer e a sua parceira alemã BioNTech vão fornecer mais 75 milhões de doses à União Europeia (UE), no segundo trimestre deste ano.

As duas farmacêuticas vão produzir 75 milhões de doses adicionais, confirmou a presidente da Comissão Europeia, acrescentando, que no total vão ser 600 milhões de doses em 2021.

“Continuamos a trabalhar para aumentar o stock a partir de 15 de fevereiro e alcançar o número de doses fixado nos contratos. No segundo trimestre, poderemos fornecer mais 75 milhões de doses à UE”, afirmou o diretor financeiro da BioNTech, Sierk Poetting.

No domingo, Ursula von der Leyen anunciou que a AstraZeneca vai fornecer à UE mais nove milhões de doses adicionais da sua vacina contra a Covid-19, num total de 40 milhões de doses, um aumento de 30%.

O novo objetivo até finais de março constitui apenas metade dos fornecimentos que a farmacêutica anglo-sueca tinha inicialmente previsto, e que motivou o contencioso com a União Europeia na passada semana.

"Um passo em direção às vacinas", escreveu Von der Leyen, que foi submetida a intensa pressão nos últimos dias sobre a capacidade da Comissão Europeia em garantir as encomendas das vacinas. .

A UE está atrasada no processo de garantir a vacinação dos seus 450 milhões de habitantes, em comparação com o Reino Unido e os Estados Unidos. A lentidão do processo tem sido atribuída a problemas nacionais e ainda no atraso da aprovação de vacinas em comparação com outros países, e nos escassos fornecimentos garantidos inicialmente.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+