Tempo
|
A+ / A-

Coronavírus. Bruxelas deixa avisos à Hungria por causa de restrições excessivas

12 abr, 2020 - 10:33 • Lusa

"Estou disposta a agir, caso essas restrições excedam o que é permitido", ameaça Ursula von der Leyen.

A+ / A-

Veja também:


A Presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, adverte a Hungria sobre a possibilidade de abrir um procedimento, caso as restrições adotadas devido ao novo coronavírus forem "excessivas" e lembrou que as mesmas devem ser "temporárias".

As medidas adotadas devem ser "proporcionais, limitadas no tempo e controladas democraticamente", afirmou Von der Leyen, em declarações ao jornal "Bild am Sonntag".

"Estou disposta a agir, caso essas restrições excedam o que é permitido", disse a presidente do executivo comunitário, citada pela agência EFE, acrescentando que, nesse caso, as medidas “violariam os tratados".

Von de Leyen reagia às leis aprovadas no final de março pelo primeiro-ministro húngaro, o ultra-conservador Viktor Orbán, que lhe concedem poderes extraordinários e por tempo ilimitado para combater a pandemia.

A Comissão Europeia observa a implementação das medidas "em todos os Estados-membros", mas segue especialmente o caso húngaro "devido às experiências críticas" já vividas no passado, salienta Von der Leyen.

Bruxelas manifestou no início de abril preocupação de que Orbán possa usar a crise para "minar" o Estado de Direito.

Os poderes extraordinários aprovados pelo parlamento Húngaro, controlados pela maioria absoluta do primeiro-ministro, permitem que Orbán governe por decreto.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, foi detetado na China em dezembro de 2019 e já infetou mais de 1,7 milhões de pessoas em quase todo o mundo. Mais de 108 mil morreram e pouco mais de 405.000 já foram dadas como recuperadas.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Tito
    12 abr, 2020 Guarda 13:21
    Estou para ver o que vais fazer. Falam muito mas o Orban continua a fazer o que quer. Corram com este país da UE. Hoje!
  • Cidadao
    12 abr, 2020 Lisboa 12:11
    E vão fazer o quê? Aplicar sanções pífias que seria o povo Húngaro a suportar e que a Hungria podia levar a Tribunal Europeu onde tudo esboroava? Expulsar a Hungria da UE, para ela decretar de imediato a suspensão de pagamentos e os bancos alemães e não só, ficarem "a arder"? Declarar guerra e invadir o País? Não se esqueçam de pedir ajuda aos camones, pois em termos de Exército, a Europa... Lol

Destaques V+