A+ / A-

UE dá 2.000 euros a imigrantes que regressem a casa

13 mar, 2020 - 07:55 • Redação com agências

Grécia enfrenta uma pressão nas suas fronteiras externas com a Turquia, depois de o presidente turco ter decidido ‘abrir as portas’ aos refugiados que pretendem rumar à Europa.

A+ / A-

A União Europeia vai oferecer dois mil euros a cada imigrante, a viver nas ilhas gregas do Mar Egeu, que regresse a casa. O objetivo é aliviar as condições nos campos de refugiados locais, sobrecarregados desde ao fluxo migratório de 2015.

A medida integra um programa organizado pela União Europeia para tentar aliviar a crise migratória após o agravamento da guerra na Síria. Centenas têm chegado à Turquia, dirigindo depois para a fronteira grega.

Esta quantia supera em cinco vezes o valor oferecido como ajuda para os refugiados reconstruírem suas vidas no país de origem em programas similares da Organização Internacional para as Migrações (IOM).

A oferta deve durar um mês e não se aplicará a refugiados que não tenham um local fixo para regressar.

A comissária de Assuntos Internos da EU afirmou que o novo esquema seria uma “janela de oportunidade para um grupo alvo”. A Organização Internacional para as Migrações vai organizar um plano de retorno com a Agência Europeia de Gestão da Cooperação Operacional nas Fronteiras Externas (Frontex).

A Grécia enfrenta uma pressão nas suas fronteiras externas com a Turquia, depois de o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, ter decidido ‘abrir as portas’ aos refugiados que pretendem rumar à Europa, numa tentativa de garantir mais apoio ocidental na questão da guerra na Síria.

A União Europeia e a Turquia celebraram em 2016 um acordo no âmbito do qual Ancara se compromete a combater a passagem clandestina de migrantes para território europeu em troca de ajuda financeira num valor total de seis mil milhões de euros para financiar o acolhimento dos refugiados, especialmente os sírios que fogem da guerra.

Nesta altura, a Turquia acolhe cerca de 3.6 milhões de refugiados da Síria, no âmbito desse acordo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Filipe Reis
    21 mar, 2020 Amadora 15:59
    Assim é como o inicio da invasão destes "refugiados" que não passam de migrantes económicos. Para a semana estão cá de novo com a família toda a pedir os seus €2000 eles também, pois "têm" direito a eles!
  • Observador
    13 mar, 2020 Europa 09:35
    E o que é que os impede de receberem esses 2000€ e depois ficarem onde estão? Fantasia

Destaques V+