Tempo
|
A+ / A-

Incêndios na Austrália. Cães treinados para farejar coalas em missão de resgate

20 nov, 2019 - 09:55 • Redação

Mais de dez mil pessoas estão sem eletricidade no sul da Austrália, como medida preventiva para reduzir o risco de incêndio. Cerca de 600 frentes permanecem ativas e foram encerradas 100 escolas.

A+ / A-

Cães treinados para encontrar coalas estão a ajudar as equipas de resgate a salvar animais nos devastadores incêndios da Austrália.

"Bear", um cão de raça coolie australiano, integra a equipa de busca e salvamento em Nova Gales do Sul, a região mais afetada pelos incêndios florestais que assolam o país.

A International Fund for Animal Welfare (IFAW) disponibilizou o "Bear", mas garante que “existem outros cães com os quais a Universidade da Costa do Sol em Queensland trabalha, alguns dos quais são treinados para farejar excrementos de coala, enquanto Bear é treinado para farejar peles de coala e identificar onde estão coalas vivos ", disse a porta-voz da organização Clare Sterling, citada pela CNN.

"Bear" foi capaz de identificar o cheiro de coalas vivos no Ngunya Jargoon, uma área indígena protegida, onde 20 a 40 coalas viviam antes dos incêndios florestais destruírem 85% de cerca de mil hectares de terreno, adianta a IFAW, numa publicação no Facebook.

Mais de dez mil pessoas estão sem eletricidade no sul do país, como medida preventiva para reduzir o risco de incêndio. Cerca de 600 frentes permanecem ativas e foram encerradas 100 escolas.

Para os próximos dias, são esperadas temperaturas de 45 graus e ventos de 90 quilómetros hora.

O sul da Austrália teve os primeiros nove meses do ano mais secos de sempre. No Estado de Victoria, as autoridades estão em alerta vermelho. Na Tasmania, o risco é "severo". As autoridades indicam que será praticamente impossível controlar qualquer incêndio que aí comecem.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+