Tempo
|
A+ / A-

“Acabar com as gaiolas”. Pedido de grupo de cidadãos chega a Bruxelas

05 set, 2018 - 12:12

Se a iniciativa receber um milhão de declarações de apoio provenientes de, pelo menos, sete Estados-membros, a Comissão terá de se pronunciar.

A+ / A-

A Comissão Europeia decidiu, esta quarta-feira, registar uma iniciativa de cidadania europeia intitulada “Acabar com as gaiolas”.

O objetivo declarado da iniciativa é acabar com “o tratamento desumano dos animais de criação que são mantidos em gaiolas”.

Os organizadores pedem, por isso, ao executivo europeu que proponha legislação no sentido de proibir o uso de gaiolas para galinhas poedeiras, coelhos, frangas, galinhas reprodutoras (de carne e ovos), codornizes, patos e gansos; gaiolas de parto para porcas; celas para porcas e celas individuais para vitelos, se ainda não proibidas.

A Comissão decidiu registar a iniciativa, o que significa que admite a proposta. Nesta fase, ainda não analisou a sua substância. O registo da iniciativa terá lugar em 11 de setembro de 2018, dando início a um processo com a duração de um ano para a recolha de assinaturas de apoio pelos seus organizadores.

Se, no período de um ano, a iniciativa receber um milhão de declarações de apoio provenientes de, pelo menos, sete Estados-membros, o executivo comunitário disporá de um prazo de três meses para se pronunciar sobre a mesma.

A Comissão pode decidir dar ou não seguimento ao pedido, devendo, em qualquer dos casos, motivar a sua decisão.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • FERNANDO MACHADO
    05 set, 2018 PORTO 19:43
    OXALÁ QUE SIM. VÃO SER PRECISAS MUITAS GAIOLAS PARA CERTAS AVES CONHECIDAS DA NOSSA PRAÇA.
  • Vergonha!
    05 set, 2018 Setubal 19:31
    Temos um jornalismo vergonhoso que dá tempo de "antena" a tudo o que é estúpido ou insignificante como manobras de diversão, jornaleiros! O Diogo já disse algo, eu acrescento mais, como é evidente (só jornaleiros e outros é que não percebem) o tratamento desumano só se aplica a humanos. Portanto é impossível tratar desumanamente os animais. Depois gostava de saber o que os organizadores ignorantes ou hipócritas fazem pelos humanos? E os humanos que são mantidos atrás das grades por vezes inocentes pois ninguém vai verificar nada, nesses não pensam? Hipócritas!
  • Diogo
    05 set, 2018 Infante Sagres 14:11
    " acabar com “o tratamento desumano dos animais de criação que são mantidos em gaiolas”."??? Então significa isto que teremos de tratar como humanos os galináceos?? Não entendo, devemos tratar os animais como pessoas? E já agora, tratar as pessoas como animais? A humanidade está desorientada. Quando vi o titulo "acabar com as gaiolas" até pensei que estavam a falar de "gaiolas". Sabem, é que essa malta toda abichanada, dizem os entendidos, fazem muitas "gaiolas" eles começam bem cedo lá por volta dos 13 ou 14 anos e depois ficam com o vicio, e lá está, é só "gaiolas" atrás de "gaiolas", daí fazer todo o sentido em querer "acabar com as gaiolas". Eles se gostassem de se encostar às meninas, já ficavam a saber que há algo bem melhor do que fazer "gaiolas", mas, lá está, saíram rabetas!...

Destaques V+