Tempo
|
A+ / A-

Tiroteio em Bruxelas. Salah Abdeslam condenado a 20 anos de prisão

23 abr, 2018 - 09:23

Tribunal belga considerou-o culpado pela tentativa de assassinato durante o tiroteio contra a polícia em 2016.

A+ / A-

Um tribunal de Bruxelas considerou Salah Abdeslam culpado da tentativa de assassínio de cariz terrorista pela participação num tiroteio com a polícia belga, a 15 de março de 2016, na capital belga, que culminou com a sua detenção. Francês de origem marroquina, nascido em Bruxelas, há 28 anos, foi condenado a 20 anos de prisão.

A sua fixação no radicalismo não deixa margem para dúvida”, considerou o tribunal, lembrando que foram usadas armas de guerra no tiroteio.

Salah, o único sobrevivente de uma célula jihadista que levou a cabo os atentados de Paris, em Novembro de 2015, foi detido no bairro de Molenbeek depois de meses em fuga.

Foi julgado juntamente com o alegado cúmplice Sofiane Ayari, de 24 anos, que também foi condenado a 20 anos.

Durante o julgamento recusou responder a responder a quaisquer questões e também não esteve presente na leitura do acórdão.

Abdeslam está detido numa prisão em França, onde aguarda julgamento pelo seu envolvimento nos atentados de Paris, que fizeram 130 vítimas mortais e vários feridos.

De acordo com a Procuradoria federal belga, os atentados de Paris e de Bruxelas, bem como o ataque gorado no comboio de alta velocidade Thalys entre Amesterdão e Paris, em agosto de 2015, estão relacionados e resultam, “provavelmente, de uma única operação” do grupo terrorista autodenominado Estado Islâmico.

Abdeslam é suspeito de ter desempenhado um papel fundamental nos preparativos dos ataques mais mortíferos alguma vez cometidos em França, ao alugar os carros utilizados nos atentados, os apartamentos utilizados pelos elementos da célula terrorista e ao transportar membros desta através da Europa.

Na noite de 13 de novembro, também transportava um cinto de explosivos, desconhecendo-se ainda se não se fez explodir por problema técnico ou por ter mudado de ideias, mas esse julgamento terá lugar em França, depois do processo em Bruxelas.


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • fanã
    23 abr, 2018 aveiro 19:11
    Perpétua , e trabalho forçado do pôr do sol ao deitar , e uma sandes de fiambre por dia !
  • Pum, Pum Pum
    23 abr, 2018 Terra 14:31
    ...e depois ganhou a geringonça...
  • Pois é!
    23 abr, 2018 dequalquerlado 11:35
    Quer dizer, está envolvido num ataque terrorista que mata 130 pessoas inocentes, e apanha 20 anos de cadeia? Esta justiça europeia é uma anedota! E os familiares desta besta não sabiam das intenções dele? Coitadinhos! Aposto que devem estar todos orgulhosos por aquilo que fez o animal. Lá está o problema, acolhem os pais, mas os filhos levam a cabo a pretensão dos pais. Como querem combater os terroristas se os países europeus estão cheios deles e ainda os tratam com carinho? Quem deveria perder a vida nestes atentados é quem os aceita? São estes mais que os terroristas que têm as mãos manchadas de sangue, são quem os aceita que são mais culpados que os terroristas. No fundo a religião católica é tão culpada como a religião deles, é que enquanto a sua diz matar os infiéis, a católica diz para ser tolerante e para dar amor. Mas ser tolerante e dar amor a gente que não aceita o amor e quer matar? Onde é que está aqui a lógica? Ah mas não se pode ser como eles. Mas não se defende isto. O problema é a cultura desta gente, da lavagem cerebral que vá passando de pais para filhos, do ódio que sentem a quem é diferente deles, pelo racismo que ao fim e ao cabo é praticado por eles, esta forma de pensar que tem esta gente nunca deveria ser aceite em país algum, mas o que é que se vê, um bando de burros que diz sim sr. Eles merecem respeito, deve-se respeitar a cultura deles, mesmo que haja muitos deles que sejam velhos e queiram casar com crianças de 12 anos.
  • Orabem!
    23 abr, 2018 dequalquerlado 10:25
    Esta escumalha nojenta anda pela europa, permitida pelos lideres, andam a viver com todos os direitos e mais alguns, dã-lhes trabalho, se é que querem trabalhar ou viver de subsídios, são respeitados porque são das culturas da treta, retrógradas e que nem aceitam, nem reconhecem respeito pelas culturas ou pelo país que lhes deu a mão, a eles ou aos seus pais. Não querem viver nos seus países de origem, depois a gratidão que eles dão ainda é esta. É planear a morte de centenas de inocentes do país que os acolheram. Cospem no prato de quem lhes dá de comer. Nojentos. Mas que respeito é que merecem estas raças? Elas andam de burka, acham-se no direito de chamar as outras mulheres de vadias, mas sempre tudo aceite, e ai daquele que disser alguma coisa, é racista! Esta europa me dá nojo! Como é que em países livres e democráticos pode-se aceitar tais costumes que vá contra as democracia e liberdade? Fala-se sempre em solidariedade, porque fogem das guerras, por isto, por aquilo, mas a verdade é que estas raças andam sempre em guerra, porque vivem em culturas estupidas, são dominados pela religião e pela lavagem cerebral que vá passando sempre de pais para filhos. Esta gente nunca irá mudar as mentalidades. Isto da maneira que vá andando, qualquer dia eles passam a ser a maioria e ainda vão dominar todo o mundo. Mas penso que os católicos seguem a mesma linha de raciocínio deles, é que enquanto a religião deles diz matar os infiéis, os católicos dizem para se ser tolerantes.

Destaques V+