Tempo
|
A+ / A-

Chernobyl. Depois do nuclear, a aposta nas renováveis

12 mar, 2018 - 12:58

O local onde ocorreu o pior desastre nuclear do mundo é hoje palco de experiências para gerar energia limpa.

A+ / A-

Chernobyl, na Ucrânia, pode voltar a gerar eletricidade, mas desta vez usando a energia do sol. A 100 metros das ruínas da central onde, em abril de 1986, ocorreu o pior desastre nuclear do mundo, estão hoje instalados quase quatro mil painéis fotovoltaicos.

"A ideia é dar uso ao terreno abandonado, que não é adequado para qualquer outra coisa, e de alguma forma desenvolver o projeto e fazer negócios em Chernobyl”, explica à agência Bloomberg o empresário ucraniano Yevgen Variagin, da Rodina Energy Group que, em parceria com a Enerparc AG, está a desenvolver o projeto Solar Chernobyl SPP.

Depois do acidente, Chernobyl tornou-se um conjunto de aldeias e terrenos abandonados que, aos poucos, vão sendo engolidos pela densa floresta.

Depois da destruição de reatores em 2000, as autoridades debatem o destino a dar à região.

A aposta nas renováveis

A Ucrânia pretende reduzir a dependência do gás, proveniente da Rússia, e do carvão e por isso quer duplicar a produção de energia solar e de outras energias renováveis. Chernobyl pode ser uma ajuda, já que tem uma área quase do tamanho do Luxemburgo.

Com uma capacidade de cerca de 1,2 gigawatts de energia solar produzida até o final de 2017, a Ucrânia assumiu relevância no mercado, tornando-se um concorrente relevante para outros países europeus, como a Áustria.

O objetivo agora é atrair empresas para gerar mais 1,2 gigawatts de energia solar em Chernobyl – o suficiente para alimentar 200 mil casas.

As autoridades estão a avaliar as condições de edifícios abandonados e promovem investigações científicas na região. O Governo percebeu entretanto que a energia solar representava uma oportunidade e “está a facilitar a criação das empresas”, conta à Bloomnerg Vitalii Petruk, da Agência Estatal da Ucrânia. "Agora entendemos o que precisa ser mudado", acrescenta.

No total, 203 empresas possuem uma licença estadual para gerar energia solar na Ucrânia.

A central nuclear de Chernobyl fez parte da estratégia nuclear soviética, mas a explosão do reator mudou tudo ao criar um problema ambiental e de saúde com o qual o país ainda tem de lidar.

O acidente causou a morte a 49 pessoas e milhares de outras tiveram e continuam a ter problemas de saúde por causa da radiação.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+