Tempo
|
A+ / A-

Retirada nacionalidade a deputado ucraniano que propôs alugar a Crimeia

30 abr, 2017 - 16:49

Andréi Artemenko propôs que a Ucrânia arrendasse a Crimeia à Rússia, por um prazo de entre 30 a 50 anos. Depois disso, seria feito um referendo.

A+ / A-

O Presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, retirou a cidadania a Andréi Artemenko, depois de o deputado ter proposto arrendar à Rússia a anexada península da Crimeia, como solução para o conflito entre os dois países.

Segundo a agência de notícias espanhola EFE, o anúncio é feito pelo líder do Partido Radical ucraniano, Oleg Liashkó, na sua página de Facebook.

"Conseguimos. O Presidente da Ucrânia assinou hoje o decreto para retirar a cidadania [a Andréi Artemenko] por ter aceitado deliberadamente, em 2005, a cidadania do Canadá. Os traidores que desrespeitam a Constituição não podem servir o Estado", escreveu Liashkó.

A lei ucraniana prevê que os cidadãos que adquiram a cidadania de outro país de forma voluntária e deliberada podem ser privados da cidadania ucraniana.

O deputado Andréi Artemenko propôs em Fevereiro que a Ucrânia arrendasse a Crimeia à Rússia, por um prazo de entre 30 a 50 anos.

"Decorrido esse tempo, realizar-se-á um referendo na Crimeia, sob supervisão das estruturas internacionais, para decidir definitivamente sobre a soberania da península", defendeu, na altura, o deputado.

Questionado sobre o tema, o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, garantiu que é impossível haver um acordo com os Estados Unidos sobre a Crimeia como contrapartida para Washington levantar as sanções contra a Rússia.

"Não há nada para falar", assegurou Peskov, sublinhando que Moscovo está absolutamente contra novas consultas públicas sobre a Crimeia e que a soberania russa sobre esse território está fora de qualquer discussão.

A Rússia anexou a Crimeia em Março de 2014, depois de meses de confrontos na Ucrânia que levaram à mudança de Governo em Kiev e depois de ter entrado no território e ter feito um referendo considerado ilegal pela comunidade internacional.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+