Tempo
|
A+ / A-

​Sismo na antiga Birmânia danifica templos e faz três mortos

24 ago, 2016 - 17:08

Cidade de Bagan foi a mais atingida pelo tremor de terra de 6.8 na escala de Richter.

A+ / A-

Um sismo de magnitude 6,8 que ocorreu hoje no centro de Myanmar, na antiga Birmânia, danificou vários dos célebres pagodes de Bagan, importante local turístico do país, anunciou a polícia, coma imprensa a dar conta de três vítimas mortais.

"Vários pagodes célebres ficaram danificados durante o tremor de terra", anunciou à agência France Presse um responsável da polícia de Bagan.

Uma turista espanhola ficou ligeiramente ferida quando visitava o local, numa queda devido ao abalo.

Aung Kyaw, responsável pelo sítio arqueológico de Bagan, indicou danos em "seis dezenas de pagodes" do local arqueológico mais célebre da Birmânia.

O sismo ocorreu ao final do dia, numa altura em que muitos turistas visitam o local para observar o por do sol sobre os milhares de pagodes.

Segundo o instituto norte-americano de geologia USGS, o epicentro do sismo localizou-se na região de Magway, em Chauk, uma pequena cidade do centro da Birmânia, a cerca de 30 quilómetros de Bagan.

"Um homem de 22 anos morreu no desabamento de uma casa" na localidade de Pakokku, na mesma região, declarou à AFP Han Zan Win, deputado do parlamento regional.

A imprensa birmanesa refere ainda a morte de mais duas pessoas.

O hipocentro (local do foco do sismo) foi a 84 quilómetros de profundidade e o terramoto abalou edifícios em Rangum, a capital económica birmanesa, e foi sentido na capital tailandesa, Banguecoque, mas também em Calcutá, na Índia, e no Bangladesh.

Numa zona industrial dos subúrbios de Dacca, duas dezenas de operários ficaram feridos quando tentavam fugir do edifício em construção onde trabalhavam, indicou a televisão local.

O USGS estimou que o impacto do sismo será "relativamente localizado", mas alertou para a "grande vulnerabilidade" de muitos edifícios na região.

Bagan, com os seus milhares de pagodes budistas construídos entre os séculos X e XIV, é particularmente vulnerável.

A Birmânia espera que o local seja classificado como património mundial da humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+