Tempo
|
A+ / A-

Custo do trabalho aumentou 5,3% em 2023

12 fev, 2024 - 13:38 • Lusa

Em 2022 o aumento do Índice do Custo de Trabalho foi de 3,2%.

A+ / A-

O Índice do Custo de Trabalho (ICT) aumentou 5,3% em 2023 em comparação ao ano anterior, em que aumentou 3,2%, anunciou esta segunda-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE).

"Em 2023, o ICT aumentou 5,3% (tinha aumentado 3,2% em 2022), a que corresponderam acréscimos de 5,0% (3,0% em 2022) nos custos salariais e 6,4% (4,1% em 2022) nos outros custos", refere o INE num destaque publicado esta segunda-feira.

Já o custo médio por trabalhador aumentou 7,1% em 2023 (4,4% em 2022) e o número de horas efetivamente trabalhadas por trabalhador subiu 1,8% (1,2% em 2022).

Em termos de atividade económica, o custo do trabalho na indústria subiu 5,6%, na construção 5,7% e nos serviços 5,3%, contra 5,5%, 5,8% e 4,3%, respetivamente, em 2022.

Nas categorias associadas ao setor público, o aumento total foi de 6,5% em 2023, 2,5% no ano anterior.

Quanto aos últimos três meses do ano, o ICT, que mede os custos do trabalho por hora efetivamente trabalhada, aumentou 5,7% face ao quarto trimestre de 2022, acelerando face aos 5,1% entre julho e setembro.

Os custos salariais aumentaram 5,5% (4,8% no terceiro trimestre) e outros custos do trabalho 6,8% (6,4% no trimestre anterior).

Os aumentos nos custos salariais neste quarto trimestre de 2023 cifraram-se entre 3,1% na construção e 5,8% nos serviços.

Já no trimestre anterior, com exceção da construção, onde o aumento foi maior, "todas as atividades económicas tinham registado acréscimos menores que os observados neste trimestre".

Os custos não salariais registaram aumentos entre 6,1% nos serviços e 11,4% na construção.

O custo médio por trabalhador apresentou uma subida inferior à observada no trimestre anterior em todas as atividades económicas, com exceção da construção (8,0%), tendo o menor acréscimo sido na administração pública (5,4%).

Por sua vez, o INE indica que os aumentos verificados na administração pública "têm sido inferiores aos observados para as restantes atividades desde o primeiro trimestre de 2021".

O instituto estatístico acrescenta que o número de horas efetivamente trabalhadas aumentou em todas as atividades económicas -- com exceção da administração pública (-0,2%) --, tendo o maior acréscimo sido observado na construção (3,0%) e o menor nos serviços (0,3%).

O próximo Índice do Custo do Trabalho, referente ao primeiro trimestre de 2024, será publicado em 13 de maio de 2024.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+