Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

"É possível, mas não é fácil" privatizar a TAP em 2024

12 dez, 2023 - 16:57 • Sandra Afonso

CEO da TAP recusa comentar as conclusões da Comissão Técnica Independente, que avaliou as localizações para o novo aeroporto. Diz que o mais importante é que seja garantida a igualdade de concorrência.

A+ / A-

O presidente executivo da TAP diz que é possível fechar a privatização em 2024. Luís Rodrigues continua a defender que a privatização é a melhor solução para a transportadora, mas não entra na discussão sobre o melhor modelo.

Mesmo com duas eleições no próximo ano, o CEO da companhia aérea acredita que é possível alienar a empresa em 2024.

“Fácil não é, porque vamos ter um Governo, se tudo correr bem, em abril ou maio, depois faltam poucos meses para o final do ano, temos sempre um verão muito intenso. É possível, mas não é fácil e não é uma decisão nossa”, disse o presidente executivo da TAP, num encontro com jornalistas.

Para o futuro, Luís Rodrigues espera crescimentos em torno dos 3% a 4% na TAP. Já no próximo ano conta mesmo com receitas “um pouco mais agressivas”, mas não haverá mais aviões nem novas rotas, devido ao plano de reestruturação.

Também não está prevista a expansão de nenhuma rota em particular, adianta o CEO da TAP.

“Neste momento, com as condições que temos, investir em qualquer sítio significa desinvestir noutro sítio. Neste momento, temos que estabilizar a nossa operação, consolidar aquilo que estamos a fazer bem, continuar a melhorar e, depois, logo se vê”, defende.

Tal como a Renascença avançou na segunda-feira, o CEO da TAP assegura que os salários de dezembro serão pagos sem cortes, o desentendimento com as Finanças está resolvido.

Luís Rodrigues recusa comentar as conclusões da Comissão Técnica Independente (CTI), que avaliou as localizações para o novo aeroporto. Diz que o mais importante é que seja garantida a igualdade de concorrência.

O presidente executivo da TAP também não se pronuncia sobre as obras no aeroporto da Portela, aprovadas em Conselho de Ministros. Avança apenas que a empresa está a colaborar com o Governo e a Ana - Aeroportos de Portugal.

Luís Rodrigues garante ainda que a TAP lida bem com a tutela, mas nunca se encontrou com o primeiro-ministro ou ministro das Infraestruturas, a pasta assumida agora por António Costa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+