A+ / A-

OE 2024. Empresas sentem que Governo fez "ouvidos moucos" e não apresentou respostas

11 out, 2023 - 22:30 • João Malheiro

O responsável da CPPME critica, também, "aqueles que, tendo assinado um acordo na Concertação Social, vêm agora chorar lágrimas de crocodilo por não se verem refletidos no Orçamento".

A+ / A-

A Confederação das Micro, Pequenas e Médias Empresas (CPPME) diz que o Governo fez "ouvidos moucos" e não ouviu as propostas que apresentaram.

À Renascença, o presidente da CPPME critica o Orçamento do Estado (OE) para 2024 por "não trazer nada de novo nem responder às necessidades das empresas".

"A proposta do Governo não elimina as discriminações negativas e mantém, no geral, os obstáculos à sustentabilidade e à rentabilidade", considera.

Jorge Pisco realça que foram apresentadas propostas ao Executivo, no início da legislatura, que têm sido "sistematicamente ignoradas".

O responsável da CPPME critica, também, "aqueles que, tendo assinado um acordo na Concertação Social, vêm agora chorar lágrimas de crocodilo por não se verem refletidos no Orçamento".

"Então, quem não se vê refletido, não teria assinado", aponta.

Jorge Pisco diz que "continuaremos a trabalhar e a apresentar propostas", indicando que as empresas vão tentar nova reunião com o ministro das Finanças, Fernando Medina.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+