Tempo
|
A+ / A-

António Costa diz que PRR não é uma “varinha mágica”

11 ago, 2023 - 23:42 • Teresa Paula Costa

Primeiro-ministro garante que Plano de Recuperação e Resiliência está “a tempo e horas”.

A+ / A-

O primeiro-ministro disse esta sexta-feira que o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) não está atrasado, mas que não é uma "varinha mágica".

António Costa visitou as obras de reabilitação do Convento de Cristo, em Tomar, e garantiu que todas as obras abrangidas pelo PRR ficarão concluídas a tempo e horas.

“Se olharmos para o calendário de execução do PRR, que tem que estar concluído até dezembro 2026, nós diremos, estamos num bom momento”, afirmou o governante referindo-se às obras de requalificação da fachada, onde se inclui a janela manuelina, que acontecem pela primeira vez na história do monumento.

António Costa salientou que “já temos o concurso para a seleção do arquiteto e o projeto aprovado”. Por outro lado, “o projeto de execução será entregue até o final deste ano, seguir-se-á o concurso para a empreitada”, que “estará concluída em dezembro de 2026”.

António Costa visita obras de requalificação do Convento de Cristo, Tomar. Foto: Teresa Paula Costa/RR
António Costa visita obras de requalificação do Convento de Cristo, Tomar. Foto: Teresa Paula Costa/RR
Obras no Convento de Cristo, Tomar. Foto: Teresa Paula Costa/RR
Obras no Convento de Cristo, Tomar. Foto: Teresa Paula Costa/RR
António Costa visita obras no Convento de Cristo, em Tomar. Foto: Teresa Paula Costa/RR
António Costa visita obras no Convento de Cristo, em Tomar. Foto: Teresa Paula Costa/RR
Foto: Paulo Cunha/Lusa
Foto: Paulo Cunha/Lusa

“Não estamos em dezembro de 2026 e, portanto, não estamos atrasados, estamos no momento certo para que tudo possa estar pronto a tempo e horas”, concluíu o governante

PRR não é uma "varinha mágica”

António Costa chamou a atenção para o facto de o PRR não ser uma "varinha mágica”.

“O PRR é um processo de trabalho e esse processo de trabalho está em curso e ficará concluído a tempo e horas”, acrescentou o primeiro ministro.

A requalificação da fachada e das coberturas do Convento de Cristo implicam um investimento de um milhão e meio de euros do Portugal 20/20, aos quais vão acrescer cerca de 4,4 milhões de euros do Plano Recuperação e Resiliência, para uma intervenção no pátio e nos claustros e que vai permitir abrir o castelo ao público.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+