Tempo
|
A+ / A-

Concurso da primeira fase do TGV previsto para 2024

13 jul, 2023 - 00:19 • Redação

A ligação entre Campanhã (Porto) e Oiã (Aveiro) será feita em Parceria Público-Privada (PPP). O vice-presidente da Infraestruturas de Portugal (IP) prevê o início das obras para 2026.

A+ / A-

O vice-presidente da Infraestruturas de Portugal (IP) garantiu que o processo não está atrasado. Garantia dada por Carlos Fernandes, que apresentou o projeto da linha de alta velocidade Porto-Lisboa, esta quarta-feira, na sede da Ordem dos Engenheiros - região norte.

“Nós estamos a cumprir rigorosamente o planeamento com que nos comprometemos. Estamos a trabalhar em duas áreas. Estamos a trabalhar nos estudos prévios e estudos de impacto ambiental”, assegurou.

O lançamento do concurso para a primeira fase, que ligará Porto e Aveiro, está previsto para janeiro de 2024.

O troço projetado implicará a adaptação das estações existentes e a construção de uma nova estação em Vila Nova de Gaia.

O vice-presidente da IP espera “assinar o contrato no segundo trimestre do ano de 2025, seguir-se-á uma fase de conclusão dos estudos e projetos de execução e esperamos que as obras possam começar no terreno no início de 2026 ou no final de 2025”.

Carlos Fernandes lançou expectativas para o custo dos bilhetes. Apesar de o preço de referência para o bilhete Porto-Lisboa ter sido apontado para os 40 euros, o vice-presidente da IP referiu ser possível praticar preços a partir de 25 euros por pessoa.

A presidente da Ordem dos Engenheiros - Região Centro também esteve presente. Isabel Lança indicou estar a ponderar a criação de uma linha de apoio às populações sobre as zonas potencialmente afetadas pela construção do troço de alta velocidade.

Santa Maria da Feira, Espinho e Anadia são alguns dos vários municípios afetados pela nova ligação e o vice-presidente da IP indicou estar a trabalhar no concelho de Espinho onde quatro habitações serão afetadas pela obra.

“Para essas quatro habitações pode passar por expropriar, chegar a acordos de construção de casas. Pode passar por um conjunto de soluções que dependem muito de caso a caso”, sublinhou.

O projeto apresentado para a linha de alta velocidade é uma recuperação do primeiro plano para o TGV, em 2008, durante o governo de José Sócrates. O projeto foi suspenso em 2011, durante o governo de Passos Coelho.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Joao Almeida
    26 set, 2023 Aveiro 10:03
    o TGV é um ideia do PS para parecerem avançados ...mas por exemplo em zona desta viagem o tgv atinge a velocidade cruzeiro jã não digo maxima....não ha ..outra o TGV sai do Porto e passado 40 km tem que parar em Aveiro nem dá para aquecer depois sai de Aveiro e passsdos outros 45 km para em Coimbra ...isto é o que fazem os actuais ..para quê gastar tanto dinheiro e PREJUDICAR CENTENAS OU MILHARES DE PESSOAS

Destaques V+