Tempo
|
A+ / A-

​Ensino Superior

Portugal tem quatro mestrados em Finanças entre os melhores do mundo

12 jun, 2023 - 00:01 • Ricardo Vieira

Divulgado Ranking Global do Financial Times Masters in Finance 2023. Mestrado em Finanças da Católica-Lisbon é o 2.º melhor do mundo em Progressão Salarial.

A+ / A-

Há quatro escolas de negócios portuguesas entre as 55 melhores do mundo no ranking de mestrados em Finanças do Financial Times, divulgado esta segunda-feira.

De acordo com o Ranking Global do Financial Times Masters in Finance 2023, a Nova School of Business and Economics é a escola nacional mais bem colocada, na 11.ª posição, seguida da Católica Lisbon of School of Business and Economics, no 21.º lugar.

O ISEG - Lisbon School of Economics and Management está no 23.º posto e o ISCTE Business School aparece na 45.ª posição.

Nos três primeiros lugares do ranking de mestrados em Finanças do Financial Times 2023 estão três escolas francesas: a ESCP Business School, seguida da HEC Paris e da Essec Business School.

O mestrado em Finanças da Católica-Lisbon é o 2.º melhor do mundo em Progressão Salarial. Os graduados aumentam o seu salário médio em 110% nos primeiros três anos após a conclusão do mestrado.

Neste parâmetro, a escola de negócios da Católica só é superada pela francesa HEC Paris, com uma valorização salarial de 120%.

Os graduados da Nova têm um aumento do salário médio de 59% nos primeiros três anos, os do ISEG de 83% e os do ISCTE de 56%, indica o Ranking Global do Financial Times Masters in Finance 2023.

Em relação a valores três anos após a conclusão do mestrado, o salário médio dos finalistas da Nova ronda os 111 mil euros anuais, é de quase 74 mil euros para os graduados da Católica Lisbon, de quase 70 mil euros para os do ISEG e cerca de 46 mil euros para os graduados no ISCTE.

Outro dos indicadores analisados é a Progressão na Carreira. O mestrado em Finanças do ISCTE aparece no 10.º lugar, seguindo da Católica-Lisbon em 17.º lugar, do ISEG no 19.º e da Nova na 38.ª posição.

A Taxa de Empregabilidade até três meses após o final dos programas é de 100% na Nova e no ISEG, 97% na Católico-Lisbon e 96% para os alunos do ISCTE.

O diretor da Católica Lisbon of School of Business and Economics considera que “é uma honra termos o nosso Mestrado em Finanças no Top 20 mundial na média dos últimos três anos”.

Filipe Santos destaca, em comunicado enviado à Renascença, o segundo lugar mundial em progressão salarial dos graduados, “o que é indicativo da sua qualidade e excelente preparação”.

“A excelência dos nossos graduados leva a que rapidamente sejam promovidos e valorizados, mais do que duplicando o seu salário inicial. Continuaremos a nossa missão de receber os melhores alunos de Portugal e de toda a Europa para lhes proporcionar uma carreira em Finanças verdadeiramente internacional, com uma sólida formação analítica e forte conhecimento do setor financeiro, permitindo-lhes ter um impacto positivo nas empresas e sociedade”, sublinha o “dean” da Católica-Lisbon.

João Duque, presidente do ISEG - Lisbon School of Economics and Management, destaca a subida de 11 posições, em relação ao ano passado e o facto de ser considerada "a melhor escola portuguesa em Value for Money (relação custo-benefício) e a 12ª no mundo".

"Estamos muito orgulhosos das mais recentes conquistas do ISEG no ranking do Financial Times; é muito gratificante receber o reconhecimento internacional pela qualidade da nossa formação”, afirma João Duque.

“A entrada do Master in Finance no Top 23 mundial e Top 21 europeu, acompanhada pela subida de 11 posições face ao ano passado, reflete, por um lado, a qualidade do ensino nesta área e, por outro, o empenho e esforço coletivo de toda a equipa, alunos e alumni”, sublinha o presidente do ISEG.

[notícia atualizada]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+