Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

Valor máximo. Certificados de Aforro dão 3,5% em março

27 fev, 2023 - 17:26 • Sandra Afonso

Com os bancos a oferecem menos pelos depósitos, as famílias têm optados pelos Certificados de Aforro

A+ / A-

Com a taxa de fevereiro já muito perto do limite (3,4%) e os juros a aumentarem, já era esperado que no próximo mês seria atingido o teto da remuneração, neste produto de poupança do Estado.

Os Certificados de Aforro que sejam subscritos em março já terão em conta a subida da Euribor a três meses, o indexante, o que deixa a taxa-base de remuneração no limite máximo fixado para este produto: 3,5% brutos (2,52% líquidos).

As subscrições anteriores são atualizadas, automaticamente. A revisão é trimestral, as que calharem em março já ficam com a remuneração máxima.

À taxa-base podem ainda somar-se prémios de permanência, pagos a partir do segundo ano, que ainda podem aumentar a remuneração, para quem tem o dinheiro aplicado há mais tempo.

A Serie E, atualmente em subscrição, paga 0,5% por prémio de permanência, do segundo ao quinto ano, e 1% do sexto até à data-limite do investimento, que é de dez anos.

Com os bancos a oferecem menos pelos depósitos, as famílias têm optados pelos Certificados de Aforro. Segundo o Banco de Portugal, em janeiro registaram uma subida histórica, de quase 15%.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+