Tempo
|
A+ / A-

INE. Atividade económica "desacelera significativamente" e clima económico sobe

21 dez, 2022 - 14:03 • Lusa

Dados do Instituto Nacional de Estatística sobre a evolução da economia em Portugal.

A+ / A-

O indicador de atividade económica "desacelerou significativamente" em setembro e outubro, "registando a taxa mais baixa desde março de 2021" e o indicador de clima económico aumentou em novembro, divulgou esta quarta-feira o INE.

Na Síntese Económica de Conjuntura, o Instituto Nacional de Estatística (INE) refere que o indicador de atividade económica, que sintetiza um conjunto de indicadores quantitativos que refletem a evolução da economia, “desacelerou significativamente em setembro e outubro, após ter acelerado em agosto, retomando o perfil de abrandamento registado entre março e julho e registando a taxa mais baixa desde março de 2021”.

Em sentido inverso, “o indicador de clima económico, que sintetiza os saldos de respostas extremas das questões relativas aos inquéritos qualitativos às empresas, aumentou em novembro, após ter diminuído entre agosto e outubro”.

O indicador quantitativo de consumo privado desacelerou entre agosto e outubro, após ter acelerado no mês precedente.

Os indicadores de curto prazo (ICP) relativos à atividade económica na perspetiva da produção, disponíveis para outubro, apontam para uma desaceleração da atividade económica em termos nominais, verificando-se, em termos reais, “uma diminuição na indústria e uma aceleração na construção”, adianta o INE.

“O índice de preços na produção da indústria transformadora apresentou, em novembro, uma taxa de variação homóloga de 19,6%, desacelerando pelo quarto mês consecutivo, após ter registado em julho o crescimento mais elevado da atual série (25,9%). Excluindo a componente energética, este índice aumentou 13,9% em termos homólogos (14,7% em outubro)”, enquanto o relativo aos bens de consumo “continuou a acelerar, passando de uma variação homóloga de 15,7%, em outubro, para 16,2% em novembro”.

De acordo com a síntese, “o consumo médio de eletricidade em dia útil registou uma variação homóloga de 1,8% em novembro, o que compara com taxas de 0,2% e 1,5% em setembro e outubro, respetivamente”.

O indicador quantitativo de consumo privado “desacelerou entre agosto e outubro, após ter acelerado” no mês anterior.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+