Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Web Summit. Conheça três das startups escolhidas para representar Portugal

03 nov, 2022 - 06:36 • Manuela Pires

Uma cria turbinas eólicas para as cidades, outra monitoriza a saúde mental e a terceira ajuda os cuidadores informais.

A+ / A-

A Renascença dá a conhecer três startups foram escolhidas para representar Portugal na edição deste ano da conferência de tecnologia e empreendedorismo Web Summit, que decorre no Parque das Nações, em Lisboa.

As pequenas empresas, com ideias que podem valer milhões, foram selecionadas pelo programa Road 2 WebSummit, da Startup Portugal, para representar o país na maior conferência tecnológica do Mundo.

Procuram investidores para potenciar as empresas que estão incubadas na Universidade do Porto, em Lisboa e Aveiro. Todas pretendem dar resposta aos problemas que afetam os portugueses no dia a dia.

WindCredible – A mini turbina para as cidades

Filipe Fernandes, da WindCredible, teve a ideia de criar a mini turbina eólica quando percebeu que o motor de uma impressora 3D funcionava como um gerador.

A partir daí procurou outros motores que fizessem o mesmo e decidiu usar material reciclado para construir as turbinas. Usa motores de trotinetes, overboards e bicicletas para fabricar a turbina eólica idealizada para meios urbanos.

“Está desenhada para ser colocada no topo dos edifícios, em pilares, capta o vento de todos os lados e é muito versátil”, conta Filipe Fernandes à Renascença.

Ao contrário das turbinas que estamos habituados a ver nos parques eólicos, estas são diferentes, têm apenas dois metros de altura e um formato diferente.

“As turbinas tradicionais não se dão bem em ambiente urbano. Queremos aproveitar toda a energia que circula na cidade para alimentar as nossas casas e a indústria”, refere um dos fundadores da WindCredible.

Em plena crise energética, esta startup acredita que a turbinas que geram energia renovável vão fazer baixar a conta da eletricidade ao fim do mês.

“Uma turbina com dois metros consegue captar energia suficiente para produzir um terço da energia de uma habitação”, revela Filipe Fernandes.

A WindCredible está incubada no Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto, já ganhou vários prémios e na Web Summit querem captar investimento para começar a colocar estas turbinas nos prédios das cidades portuguesas.

Nevaro – A aplicação que gere a saúde mental

A ideia da Nevaro surgiu na sala de aula, na cadeira de neurociências, do mestrado em Engenharia Biomédica e Biofísica na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.

Mas foi a pandemia que acabou por dar o mote a esta aplicação móvel que gere a saúde mental. Rita Maçorano é uma das fundadoras da Nevaro, uma empresa que surgiu em plena Covid-19.

“Sou engenheira biomédica, focada em neurociências e sempre trabalhei com dados fisiológicos, mas com a pandemia fez todo o sentido direcionar a aplicação para as empresas, para a gestão da saúde mental no espaço de trabalho”, explica Rita Maçorano à Renascença.

Esta aplicação que está no telemóvel vai gerindo a saúde mental e o bem-estar, e avisa para riscos de "burnout", através de métodos clinicamente validados.

“Através de dados fisiológicos, como a respiração, o batimento cardíaco conseguimos perceber como a pessoa está e sugerir estratégias corretas para gerir a nossa saúde mental”, conta A fundadora da Nevaro.

Por exemplo, nesta app existe um termómetro da ansiedade. Basta colocar o dedo na câmara e o resultado aparece em 30 segundos, a partir daí, a aplicação sugere estratégias de gestão adequadas ao estado de cada um, até porque a saúde mental é diferente de pessoa para pessoa.

Para já, a Nevaro está apenas disponível para empresas com mais de 250 trabalhadores, mas no futuro Rita Maçonaro quer que todas as pessoas possam ter no bolso esta aplicação que ajuda a gerir a saúde mental.

Senior Support para ajudar quem cuida

André Mendes nasceu no Brasil, mas está há quatro anos em Portugal. Desde há um ano e meio que é um dos responsáveis pela Senior Support, uma aplicação gratuita para o telemóvel que torna mais fácil a vida dos cuidadores informais.

“Os cuidadores informais podem organizar melhor o dia a dia, diminuindo o risco de quedas, de acidentes ou erro na medicação. É uma informação personalizada para cada um deles”, refere André Mendes.

A aplicação tem ainda alertas para a toma dos medicamentos e para as consultas. Mas tem ainda muita informação sobre como cuidar dos idosos.

Na Web Summit a Senior support está á procura de investimento para melhorar a aplicação.

“Queremos construir um sistema web para integrar relógios inteligentes, câmaras. Reunir toda a informação num só lugar para que a família, mesmo longe, possa estar próxima da pessoa de quem cuida”, revela André Mendes à Renascença.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+