Tempo
|
A+ / A-

TAP com prejuízo de 91 milhões até setembro

02 nov, 2022 - 08:00 • Redação

Um resultado que continua no vermelho apesar dos 111 milhões de lucro registados no terceiro trimestre.

A+ / A-

A TAP teve um prejuízo de 91 milhões de euros nos nove primeiros meses do ano, de acordo com as contas apresentadas à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Face a 2019, houve uma melhoria de 121 milhões de euros.

A companhia amealhou receitas entre julho e setembro. Segundo as contas apresentadas, no terceiro trimestre registaram-se lucros de 111,3 milhões de euros - uma melhoria de 182,8% face aos prejuízos de 134,5 milhões de euros registados em igual período de 2021.

O número de passageiros transportados no terceiro trimestre duplicou face ao período homólogo, “atingindo 85% dos níveis de igual período de 2019”. Isto porque a TAP “operou uma vez e meia o número de voos de 2021, ou 81% das partidas de 2019”.

A transportadora sublinha que neste período foi “afetado pelas disrupções da indústria”. “A recuperação da atividade afetou a performance operacional das companhias aéreas todo o verão”, diz a TAP no comunicado enviado ao mercado. “Os desafios operacionais da TAP são também aumentados pela mudança de software nos sistemas da NAV (TopSky) que reduziu consideravelmente a atividade no aeroporto nas passadas semanas com impacto na regularidade e na pontualidade”, acrescenta.

Já receitas da companhia totalizaram 2.440,1 milhões de euros nos entre janeiro e setembro, um disparo de 195,1% face aos primeiros nove meses de 2021. Olhando para o trimestre as receitas superam em 7,5% o pré-pandemia (1,1 milhões de euros). O aumento dos preços e do número de passageiros justificam esta recuperação.

"A TAP está a confirmar a solidez do seu desempenho no terceiro trimestre, com todas as métricas financeiras acima dos níveis pré-crise, apesar do aumento dos custos de combustível. A procura para o quarto trimestre mantém-se bastante forte, suportando as expectativas de um bom resultado acumulado até final do ano", refere a CEO Christine Ourmières-Widener.

Tópicos
Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+