Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Governo da Madeira vai criar fundo para apoiar famílias com crédito à habitação

06 out, 2022 - 13:35 • Lusa

“Em função do rendimento das famílias, nós vamos apoiar na taxa de esforço”, promete Miguel Albuquerque

A+ / A-

O Governo da Madeira (PSD/CDS-PP) vai criar um fundo para auxiliar famílias com crédito à habitação devido à subida das taxas de juro, indicou esta quinta-feira o chefe do executivo, referindo que a medida entrará em vigor este mês.

“Em função do rendimento das famílias, nós vamos apoiar na taxa de esforço”, disse Miguel Albuquerque, à margem de uma visita a uma empresa de serragens, em Câmara de Lobos, na zona oeste da ilha.

Segundo explicou o presidente do Governo Regional, o executivo está “a fazer o cálculo e um levantamento junto da banca para saber quantas famílias têm crédito [à habitação] e qual a taxa de esforço”, para “depois orçamentar [o fundo de apoio]”.

Miguel Albuquerque não adiantou, contudo, mais pormenores.

O presidente do Governo Regional considerou ser “decisivo e muito importante” auxiliar as famílias face à atual conjuntura de crise, mas manifestou-se contra a distribuição indiscriminada de dinheiro pela população.

“Eu não sou favorável a dar dinheiro a toda a gente”, declarou, acrescentando que “as ajudas devem ser proporcionadas em função do rendimento de cada um” e que “as famílias mais vulneráveis devem ter mais apoios, aquelas que têm mais rendimento devem ter menos”.

“É assim que se faz justiça social, não é dar dinheiro indiscriminadamente às pessoas”, reforçou.

Miguel Albuquerque reagia deste modo às propostas apresentadas pelo PS/Madeira no parlamento regional, no sentido de o executivo devolver aos residentes no arquipélago cerca de 87 milhões de euros de receita extraordinária que deverá arrecadar por via do IVA, tendo em conta a inflação e o facto de não aplicar a redução máxima de 30% prevista na Lei das Finanças Regionais.

O PS, maior partido da oposição madeirense, defende, por exemplo, a atribuição de 300 euros a cada madeirense com vencimento inferior a 2.700 euros e 500 euros por cada descendente, bem como 300 euros por cada pessoa institucionalizada.

“Já temos um pacote de ajudas às famílias que é muito maior do que o que o Governo nacional apresentou”, disse Miguel Albuquerque, realçando que “todo o dinheiro” que o executivo regional utiliza em apoios “leva em linha de conta o rendimento das famílias”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+