Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Banco de Portugal

Dívida pública recua para 279,2 mil milhões em julho

01 set, 2022 - 11:53 • Lusa

Em sentido contrário, “as responsabilidades em depósitos e em empréstimos aumentaram 400 e 200 milhões de euros, respetivamente”.

A+ / A-

A dívida pública na ótica de Maastricht, a que conta para Bruxelas, diminuiu 1.400 milhões de euros em julho face ao valor recorde atingido em junho, somando 279.200 milhões de euros, informou esta quinta-feira o Banco de Portugal (BdP).

De acordo com o banco central, esta redução - a primeira após seis subidas mensais consecutivas - refletiu, essencialmente, amortizações de títulos de dívida no valor de 1.900 milhões de euros, sobretudo de curto prazo”.

Em sentido contrário, “as responsabilidades em depósitos e em empréstimos aumentaram 400 e 200 milhões de euros, respetivamente”.

Em julho, os depósitos das administrações públicas diminuíram 3.000 milhões de euros. Deduzida desses depósitos, a dívida pública aumentou 1.600 milhões de euros, para 254.100 milhões de euros.

No segundo trimestre deste ano, a dívida pública na ótica de Maastricht diminuiu para 126,7% do Produto Interno Bruto (PIB), menos 0,3 pontos percentuais face ao final do trimestre anterior, segundo avançou hoje o BdP no passado dia 01 de agosto.

Em junho de 2022, a dívida pública totalizava 280.562 milhões de euros, mais 209 milhões de euros do que em maio.

A próxima atualização das estatísticas da dívida pública do Banco de Portugal será divulgada em 03 de outubro.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+