Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Seca e calor reduzem colheitas. Preços da pera rocha e do vinho vão subir

10 ago, 2022 - 11:47 • João Cunha com redação

Os produtores falam numa realidade inevitável, uma vez que com as altas temperaturas é esperada uma queda nas colheitas.

A+ / A-

A situação de seca e o calor extremo está a afetar muitas das principais produções agrícolas portuguesas. Depois do azeite, também a pera rocha e o vinho vão sofrer reduções na produção o que fará aumentar o preço desses produtos.

Esta é uma realidade considerada inevitável pelos produtores, que depois de dois anos de interregno, devido à pandemia, se juntam a partir desta quarta-feira no Bombarral no 37.º Festival do Vinho Português, que decorre em simultâneo com a 27.ª Feira Nacional da Pera Rocha.

Domingos dos Santos, presidente da Associação Nacional de Produtores de Pera Rocha - que representa anualmente cerca de 100 milhões de euros de exportações - já sabe que a campanha deste ano vai ser afetada pela seca severa, pelas altas temperaturas e pela falta de água.

“Forçosamente o preço terá que aumentar, porque se não acontecer para o próximo ano a produção de pera rocha cai para metade ou mais. Temo que a conta de cultura da maior parte dos produtores esteja no vermelho e eles não vão conseguir aguentar isso. Até porque, independentemente da quantidade, houve um acréscimo de custos brutal acima dos 40% em todo o processo produtivo e, portanto, se não aumentar o preço, os produtores vão à falência”, explica.

Um acréscimo de custos que também afetou a produção de vinho. Miguel Móteo, enólogo e um dos organizadores do certame, indica que o preço do vinho já está a aumentar. “Pelo facto de os custos de produção terem crescido muito, principalmente, com o acréscimo grande das matérias-primas, essencialmente do vidro e do cartão, na parte do embalamento.”

Além disso, na parte da produção também se registaram aumentos de custos devido ao preço dos adubos e produtos fitofarmacêuticos.

As condições climatéricas também afetaram a produção e são esperadas quebras de 10%, segundo o Instituto Nacional da Vinha e do Vinho.

Os efeitos das recentes condições climatéricas, aliadas à seca severa e extrema e à conjuntura internacional, com uma crise energética provocada pela guerra na Ucrânia.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+