Tempo
|
A+ / A-

​BCE. Corrida às emissões zero pode levar a falências em cadeia

26 jul, 2022 - 16:25 • Sandra Afonso

Banco Central Europeu alerta para efeitos de uma transição ambiental desordenada.

A+ / A-

O Banco Central Europeu (BCE) alerta que a corrida às emissões zero pode levar a falências em cadeia.

Segundo um estudo publicado esta terça-feira, um cenário de transição, com um aumento substancial dos preços do carbono, produz perdas avultadas para seguradoras e fundos. Para evitar falências, é necessária uma transição ordenada para as emissões zero, em 2025.

Este trabalho, realizado com o Comité Europeu do Risco Sistémico (CERS), contabilizou, através de testes de stress, a percentagem de ativos sob ameaça.

Num cenário de transição ambiental desordenada, com um aumento imediato e substancial dos preços do carbono, as perdas de mercado para seguradoras e fundos de investimento podem representar 3% e 25%, respetivamente, dos ativos submetidos a testes de stress a curto prazo.

Em contrapartida, uma transição ordenada para emissões zero em 2025 pode suavizar este impacto e reduzir a probabilidade de falências, entre 13% e 20% em 2050, face às atuais políticas climáticas.

Os bancos também teriam vantagens, porque diminuem as perdas nos empréstimos a essas empresas.

Este estudo identifica ainda eventos climáticos que aumentam o risco no sistema financeiro, como as ligações económicas e financeiras entre bancos e empresas.

Por exemplo, "um aumento dos preços do carbono poderia aumentar a probabilidade de que o fracasso de uma empresa conduza ao fracasso de outra".

Inundações, secas ou incêndios podem obrigar a ajustar o preço dos riscos climáticos e levar os bancos a vender rapidamente e até de forma distorcida os ativos expostos.


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+