Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Deco Proteste

Prestação da casa vai subir entre 100 a 150 euros por mês

02 jun, 2022 - 18:11 • Sandra Afonso

Os juros negativos acabaram e as prestações já começaram a subir. Deco Proteste traça cenários para a prestação do crédito à habitação e alerta que o incumprimento vai aumentar.

A+ / A-

A prestação do crédito à habitação vai subir entre 100 a 150 euros por mês, alerta a Deco Proteste. A associação de defesa do consumidor avisa as famílias que as dificuldades vão aumentar nos próximos tempos.

Os juros negativos acabaram e as prestações já começaram a subir. Com os preços imparáveis, é preciso responder com o aumento dos juros e, em Portugal, parte do ordenado é reservado para pagar a casa ao banco.

Os Estados tencionam travar a subida generalizada dos preços, que diminui o valor do dinheiro. Uma solução é subir os juros e muitos pedem ao Banco Central Europeu (BCE) que se apresse, mas uma subida rápida também pode ser contraproducente, segundo a Deco Proteste.

O economista Nuno Rico, da Deco Proteste, aponta para mais 25 pontos base, pelo menos, ainda este ano.

Mas mesmo sem uma decisão do BCE, a taxa Euribor já está há cinco meses a corrigir para valores positivos, o que é normal, acrescenta o economista. Anormal era remunerar créditos, sublinha.

Perante a tendência de subida dos juros, quanto é que as famílias vão pagar a mais? Num cenário mais conservador, segundo as simulações da Deco Proteste para a Renascença, em que a taxa de juros fica entre 1% e 1,5%, podemos estar a falar de mais 100 euros por mês, no espaço de um ano.

“Em média, no final do ano poderemos estar a falar de um valor perto de 100 euros acima na prestação mensal, porque as projeções indicam que no final do ano poderemos a estar a lidar com uma Euribor de 1% e, dentro de um ano, poderemos estar com uma Euribor de 1,5%”, indica Nuno Rico.

Se a Euribor chegar aos 2%, o aumento médio ultrapassa os 150 euros, para empréstimos entre 100 e 200 mil euros a 30 anos.

Prestação não sobe ao mesmo tempo para todos

A prestação não sobe ao mesmo tempo para todos nem aumenta todos os meses. É atualizada tendo em conta o tipo de Euribor contratada: a 3, 6 ou 12 meses, explica Nuno Rico.

Quem tem taxa fixa de crédito à habitação sabe que tem uma prestação constante e inalterada.

Esta é uma boa altura para passar de uma taxa variável para uma taxa fixa? Com os juros a aumentar, esta é a melhor altura para mudar para uma taxa fixa e pelo maior prazo possível, mas as taxas fixas têm pontos positivos e negativos, sublinha o economista da Deco Proteste.

“A taxa fixa é sempre um pouco mais alta do que a sua alternativa variável. Vou estar a pagar um valor superior que poderá ou não ser compensado pela evolução da taxa nos mercados. Contudo, se eu quero ficar mais descansado ou o orçamento familiar já está muito no limite, e eu quero garantir que não vou pagar mais do que aquele montante, poderá ser uma alternativa. Não esquecer que as taxas de juro fixas vão acompanhando também a evolução do mercado.”

A recomendação é que as famílias sejam pró-ativas, simulem o impacto da subida dos juros e avaliem alternativas: uma renegociação do crédito, o aumento do período de pagamento ou a alteração do tipo de taxa.

Nuno Rico avisa que o incumprimento vai aumentar e dá como exemplo o crédito ao consumo, que tem taxa fixa, mas é dos primeiros que deixam de ser pagos.

Um cenário de incumprimento generalizado, é o que devemos esperar com esta inflação seguido do aumento dos juros, segundo a Deco Proteste.

Simulações da Deco Proteste

( Euribor 6 Meses, com Spread de 1%)

100 mil euros a 30 anos

  • Prestação média atual com Euribor a -0,144%: 315,07 €
  • Prestação média com Euribor a 0%: 321,64 €
  • Prestação média com Euribor a 1%: 369,62 €
  • Prestação média com Euribor a 2%: 421,60 €

150 mil euros a 30 anos

  • Prestação média atual com Euribor a -0,144%: 472,60 €
  • Prestação média com Euribor a 0%: 482,46 €
  • Prestação média com Euribor a 1%: 554,43 €
  • Prestação média com Euribor a 2%: 632,41 €
  • 200 mil euros a 30 anos

Prestação média atual com Euribor a -0,144%: 630,14 €

  • Prestação média com Euribor a 0%: 643,28 €
  • Prestação média com Euribor a 1%: 739,24 €
  • Prestação média com Euribor a 2%: 843,21 €
Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+