Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Há 166 hotéis à venda em Portugal devido à pandemia

23 nov, 2021 - 10:57 • Olímpia Mairos

Dados mostram que é na região Centro onde existe o maior número de unidades à venda, seguindo-se a região Norte e o Algarve.

A+ / A-

Portugal tem atualmente 166 hotéis para venda, o que reflete um crescimento de 1% em relação a 2020.

Os dados estão contidos num relatório divulgado esta terça-feira pelo portal imobiliário Idealista, citado pela revista Executivedigest.

A região Centro lidera a lista de unidades turísticas para venda, com 44 unidades em novembro deste ano, apesar de registar uma descida de 15% face ao período homólogo do ano passado.

Seguem-se a região Norte, com 40, e o Algarve, com 27 hotéis anunciados para venda, no mesmo mês.

Na região de Lisboa, o número de unidades turísticas para venda disparou, registando-se em novembro um aumento de 75%. Aqui a oferta passou de 12 unidades para 21, em novembro.

Em termos de distritos, Faro é aquele que tem mais empreendimentos turísticos à venda, num total de 27. Segue-se o Porto com 23, Lisboa com 21, Setúbal com 11, Viseu com 11, Leiria com 10 e a ilha da Madeira com 9.

Em Castelo Branco e na ilha de Porto Santo não há qualquer unidade à venda. Já em Vila Real há apenas uma unidade colocada no mercado.

Nos Açores existem apenas quatro hotéis disponíveis para serem transacionados, dois na ilha de Santa Maria e dois na ilha de S. Miguel.

O relatório reflete os efeitos da pandemia de Covid-19 e assinala o forte impacto nos setores da hotelaria e da restauração.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+