Tempo
|
A+ / A-

Autorizados 3 milhões para veículos elétricos na administração pública

26 ago, 2021 - 12:47 • Lusa

Verba destina-se a financiar a aquisição de cerca de 200 viaturas, no âmbito do Programa de Apoio à Mobilidade Elétrica na Administração Pública.

A+ / A-

O Governo autorizou, por portaria hoje publicada, três milhões de euros para financiar 200 veículos elétricos destinados a freguesias, áreas metropolitanas ou organismos da administração pública, no âmbito do Programa de Apoio à Mobilidade Elétrica na Administração Pública.

Os 3,090 milhões de euros, segundo o despacho publicado hoje em Diário da República, não podem ultrapassar, em cada ano económico, os seguintes montantes: 150 mil euros este ano e 735 mil euros em cada um dos anos seguintes, até 2025.

Segundo o diploma, a contratação dos veículos a financiar, tal como previsto no Programa ECO.mob, será feita em regime de locação por um período nunca inferior a 48 meses.

O município madeirense de Câmara de Lobos, em meados de julho, anunciou ter recebido dois veículos elétricos, num investimento de 70 mil euros, para candidaturas à terceira Fase do Programa de Apoio à Mobilidade Elétrica na Administração Pública (PAMEAP), promovida pelo Fundo Ambiental, incluindo a instalação de postos de abastecimento elétricos nos serviço camarários.

A execução do Fundo Ambiental (FA) atingiu 569,8 milhões de euros em 2020, correspondente a 99,9% das verbas disponíveis e a um aumento de 47%, face aos 387,6 milhões de euros executados em 2019, segundo os dados divulgados em janeiro pelo Ministério do Ambiente.

No que diz respeito à mobilidade, a comparticipação do FA foi de cerca de quatro milhões de euros para a aquisição de 1.428 veículos ligeiros, 1.036 bicicletas, motociclos, ciclomotores elétricos e bicicletas de carga.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+