Tempo
|
A+ / A-

Coronavírus

Compras de Natal em tempo Covid. Costa quer "mais tempo para comprar e para trocar"

04 nov, 2020 - 12:27 • Susana Madureira Martins , Cristina Nascimento

Foi lançada esta quarta-feira campanha para antecipar compras de Natal e prazo para trocas poderá ser alargado até 31 de janeiro. Objetivo das medidas é evitar ajuntamentos de pessoas nos espaços comerciais.

A+ / A-

Veja também:


Os portugueses vão "ter mais tempo para comprar e mais tempo para trocar" as suas prendas de Natal. A garantia foi deixada pelo primeiro-ministro António Costa, no lançamento da campanha de Natal 2020 que pretende incentivar os consumidores a anteciparem as suas compras de Natal.

A campanha tem por objetivo ajudar a travar a propagação da Covid-19, evitando ajuntamentos de pessoas nos estabelecimentos comerciais. Neste âmbito, está prevista a extensão da data para as trocas de presentes até 31 de janeiro.

Nesta conferência de imprensa, Costa disse que "com muita probabilidade, o Presidente da República vai propor a declaração de estado de emergência, e a Assembleia da República vai autorizar e, seguramente, em todos os concelhos que sejam de risco elevado vão ter de continuar a viver com medidas agravadas", uma situação que Costa reconheceu vai afetar a frequência das lojas.

O Chefe do Governo garantiu ainda que "sempre que a pandemia o permitir, as regras serão aliviadas", mas que "quando a pandemia o permitir serão agravadas".

Costa prometeu ainda novos apoios para a micro, pequenas e médias empresas.

"O Governo tem bem consciência das dificuldades e, na quinta-feira, o Conselho de Ministros vai aprovar um novo conjunto de medidas de apoio à atividade económica, em particular dirigido às micro, pequenas e médias empresas que estão a suportar um custo muito elevado pelo esforço coletivo que se impõe para o controlo da pandemia", disse Costa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+