Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Bial e Estado assinam contrato de 37 milhões para investigação científica

23 jan, 2017 - 09:59

Acordo surge no âmbito dos incentivos do Portugal 2020. Investigação vai ser desenvolvida na Trofa, onde estão cerca de 100 investigadores de nove nacionalidades.

A+ / A-

A farmacêutica portuguesa Bial e o Estado assinam esta segunda-feira, na Trofa, um contrato de investimento no valor de 37,4 milhões para investigação científica nas áreas dos sistemas nervoso central e cardiovascular.

O contrato estende-se até 2018 e surge na sequência de o Governo ter aprovado, em Dezembro, em Conselho de Ministros, benefícios fiscais para investimentos industriais.

A cerimónia da assinatura inicia-se com uma visita ao Centro de Investigação e Desenvolvimento da Trofa, marcada para arrancar pelas 10h30, com a presença do primeiro-ministro, António Costa.

A informação foi avançada à agência Lusa pela farmacêutica portuguesa.

No centro de I&D da Trofa estão cerca de 100 investigadores de nove nacionalidades a estudar e investigar novas soluções de tratamento nas áreas do nervoso central e cardiovascular.

O contrato entre a Bial e a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) surge no âmbito do sistema de incentivos à investigação e desenvolvimento do PT 2020 – fundos comunitários destinados a Portugal até 2020 – e conta com as intervenções do primeiro-ministro e do director executivo da Bial.

Em Janeiro de 2016, a farmacêutica e o laboratório francês Biotrial foram parcialmente responsabilizados pela morte de uma pessoa na sequência de um ensaio clínico realizado em França.

A Bial reagiu à decisão, lamentando que o relatório final da Inspecção-Geral francesa de Assuntos Sociais seja “mais um que não permite determinar qualquer conclusão quanto à causa concreta do acidente, nem da morte de um dos voluntários que participou no ensaio clínico”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+