Tempo
|
A+ / A-

​“E se fosse contigo?”. Diocese de Bragança-Miranda quer despertar consciências para a deficiência

29 nov, 2017 - 10:08 • Olímpia Mairos

É um desafio à sociedade e à Igreja, para que se coloquem no lugar da pessoa com deficiência e experimentem as dificuldades que a pessoa com deficiência ainda encontra na sua participação, na sua inclusão, na vida em sociedade.

A+ / A-

O Serviço da Pastoral da Deficiência da diocese de Bragança-Miranda promove, a partir desta quarta-feira e até ao dia 13 de Dezembro, diversas iniciativas que visam assinalar o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência.

“E se fosse contigo?” é o mote para a iniciativa que quer desafiar “a sociedade e a Igreja para que se coloquem no lugar da pessoa com deficiência e experimentem as dificuldades que a pessoa com deficiência ainda encontra na sua participação, na sua inclusão, na vida em sociedade”, explica o director do Serviço da Pastoral da Deficiência da diocese de Bragança-Miranda, Jorge Novo.

Mais do que uma provocação é “um abanar de consciências e, ao mesmo tempo, um imperativo para que as pessoas entendam que a pessoa com deficiência tem valor, tem dignidade que urge defender e promover”, frisa Jorge Novo.

O director do Serviço da Pastoral da Deficiência da diocese de Bragança-Miranda espera também que a iniciativa, que congrega dez instituições que se dedicam à causa da dignificação da pessoa com deficiência, sirva para esbater a auto-suficiência do ser humano.

Do programa constam actividades “variadas e interessantes”, desde o desporto à reflexão, às tardes recreativas e à marcha solidária, que procuram “ir ao encontro de todos os públicos e de todas as idades, com relevo para a participação das pessoas com deficiência, familiares, amigos e cuidadores”.

A culminar o programa, no dia 13 de Dezembro, na Igreja de São Bento, em Mirandela, acontecerá a celebração da eucaristia de Natal.

Na celebração, a que preside D. José Cordeiro, a pessoa portadora de deficiência é chamada a um papel activo para “constituir um exemplo de participação, de inclusão para todas as unidades pastorais da diocese, para que todas as pessoas considerem oportuna e pertinente a participação das pessoas com deficiência e que lhe sejam dadas condições para essa participação”, explica à Renascença o director do serviço diocesano, Jorge Oliveira Novo.

As pessoas portadoras de deficiência “vão ler, vão acolitar, vão cantar, vão encenar, vão ser as pessoas protagonistas da eucaristia”, conclui.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+