Tempo
|
A+ / A-

Incêndios: Bispo de Coimbra pede que se agilize ajuda às populações afectadas

17 out, 2017 - 11:11 • Ângela Roque, com Ecclesia

Numa mensagem publicada na página da diocese no Facebook, D. Virgílio Antunes manifesta a sua solidariedade para com as vítimas da “calamidade” dos fogos.

A+ / A-

O Bispo de Coimbra, D. Virgílio Antunes, manifesta solidário com as comunidades atingidas pelos incêndios dos últimos dias, numa mensagem publicada na página da diocese no Facebook, na qual pede, também, que se agilize a ajuda às populações afectadas.

“Diante da calamidade que se abateu de novo sobre a nossa Diocese de Coimbra e sobre Portugal, sinto-me muito próximo de todos quantos estão a sofrer na sua própria carne a perda dos seus bens e, mais ainda, dos seus familiares, irmãos e amigos, conhecidos ou desconhecidos”, escreve o bispo de Coimbra.

D. Virgílio Antunes pede "a todos, públicos ou privados, comunidades e pessoas, que façam tudo o que estiver ao seu alcance para que a ninguém falte o necessário dos bens materiais e espirituais a que têm direito enquanto membros do povo português e da Igreja de Deus”

O bispo de Coimbra sublinha a “grande dor” destes dias, elogiando a acção dos bombeiros e de todos os que “generosamente e por sentido do dever, têm ajudado as populações em dificuldade”.

"Não tenho capacidade para resolver as situações difíceis que muitos estão a viver, mas posso apelar a todos para que estejamos próximos uns dos outros com a consolação do amor, da oração e da solidariedade. Rezo pelo eterno descanso dos que perderam a vida e pela consolação dos que sofrem. Deixo um grande abraço, na comunhão de Deus, que nunca nos deixa sós”, conclui D. Virgílio Antunes, que tem visitado algumas das zonas mais atingidas.

Desde o fim-de-semana os incêndios no país provocaram pelo menos 36 mortos e 62 feridos, 15 em estado grave, sete desaparecidos e elevados danos materiais. Só no distrito de Coimbra, vários concelhos foram completamente dizimados pelas chamas. Estão contabilizados mortos em Penacova, Oliveira do Hospital, Arganil e Tábua.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • barsanulfo
    17 out, 2017 alcains 13:09
    Até subscrevo o que diz o Bispo, é elementar! Mas, e que tal a santa madre igrejinha, a padralhada, abdicar, vender, uns quilos das toneladas de ouro, guardadas nos cofres de fátima, oferecidas pelos crentes, para ajudar as populações? sim porque não ó sr Bispo?