A+ / A-

Rui Rio considera que PSD está "numa situação que não é fácil"

27 set, 2017 - 22:34

Antigo autarca do Porto não quer falar de outra coisa que não seja as eleições autárquicas.
A+ / A-

O ex-presidente da Câmara do Porto Rui Rio considera que o PSD está "numa situação que não é fácil" relativamente às eleições autárquicas de 1 de Outubro, tendo em conta as sondagens que têm sido divulgadas.

"As sondagens podem enganar-se como é lógico - enganam-se, seguramente ,- mas temos todos a percepção que é muito difícil e, portanto, aquilo que todos nós devemos fazer é estar unidos a apoiar os diversos candidatos que o PSD tem por esse país fora", disse Rui Rio.

O ex-presidente da Câmara do Porto falava aos jornalistas em Águeda, à margem de uma conferência organizada pelo PSD local sobre o tema "Poder Local e Gestão Política".

Questionado sobre uma eventual candidatura à liderança do PSD, o ex-autarca manifestou-se "desgostoso" com as notícias que têm saído sobre esse assunto, defendendo que todos devem estar concentrados nas eleições autárquicas.

"Não é de bom-tom estar a meter notícias nos jornais com especulações sobre a vida interna do partido. Isto já não era bonito há um mês, em cima das eleições ainda menos. Eu não concordo nada com isso. Podem usar o meu nome como quiserem - eu não posso proibir - mas não é com a minha participação nem com a minha concordância", afirmou.

Durante a conferência, o social-democrata considerou que quase todos os partidos políticos "tendem a desvalorizar" as eleições autárquicas e a achar que "são eleições de segunda divisão", uma ideia com a qual disse não concordar.

"Para mim, não é mais importante eleger 230 deputados do que eleger milhares de autarcas. É até mais importante eleger milhares de autarcas para o quotidiano da vida das pessoas", considerou.

Rui Rio sublinhou ainda a importância do poder local, que tem uma "obra notável". "Nós falamos mais daquilo que são os erros e há muitos erros efetivamente, mas há um grande trabalho desenvolvido em prol da qualidade de vida das populações", observou.

O ex-secretário-geral do PSD rejeitou ainda a ideia de que as autarquias tenham endividado o país, considerando que a "grande dívida pública foi feita pela administração central".

"As 308 [Câmaras] no seu conjunto estão desendividadas. Algumas estão muito mal, outras estão muito bem, outras estão assim-assim", disse Rui Rio, concluindo que as autarquias "dão dez a zero à administração central".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Rui Marcos
    28 set, 2017 Marinha Grande 15:56
    Em frente Passos até ao estoiro final! Já falta pouco.
  • Oremos!
    28 set, 2017 Lis 13:27
    Para que o Passos continue por muito tempo como querido lider dos "social democratas" apoiado pela sua entourage!... Não há alternativas! Cortar e empobrecer é o lema da "social democracia".
  • Manuel Correia
    27 set, 2017 Gondomar 23:53
    Assim é que deve ser.Nestes momentos todos devem apoiar o partido.Mas anda por aí militantes e ex ministros a sabotar o partido.RUA COM ESSES TRAIDORES.
  • Pois!
    27 set, 2017 Lisboa 23:04
    Fica bem dizer o que disse. Mas, por favor e quando já não parecer mal, "arrume a casa". Antes que a herança do Dr. Sá Carneiro seja completamente destruída! Já não sobra grande coisa ...