A+ / A-

Terrorismo. Lisboa coloca barreiras e Red Bull Air Race aposta em blocos de betão

21 ago, 2017 - 21:52

Portugal não aumentou o nível de alerta após ataques na Catalunha, mas a PSP garante que "desde há alguns meses tem vindo a proceder ao reforço de vigilância e segurança em áreas e locais de maior concentração de pessoas". Polícia deixa três conselhos em caso de atentado: "Fugir, proteger, ligar".

A+ / A-

Os atentados na Catalunha voltaram a colocar a ameaça terrorista na ordem do dia. Lisboa está a colocar barreiras de segurança, outras cidades já o fizeram, a PSP reforçou a vigilância nos últimos meses em locais com maior concentração de pessoas e o plano de segurança para o maior evento dos próximos tempos, o Red Bull Air Race, em Porto e Gaia, já está fechado e contempla a instalação de blocos de betão com quatro toneladas e meia.

Portugal não aumentou o nível de alerta após ataques com viaturas em Barcelona e Cambrils, que provocaram 15 mortos, entre os quais duas portuguesas, mas o Comando Metropolitano de Lisboa da PSP garante, em comunicado, que "desde há alguns meses tem vindo a proceder ao reforço de vigilância e segurança em áreas e locais de maior concentração de pessoas".

Lisboa começou nos últimos dias a colocar blocos de betão nas zonas mais movimentadas e turísticas da capital, como o Mosteiro dos Jerónimos, Chiado e a Rua Augusta, para evitar um ataque com viaturas como aconteceu nas Ramblas, em Nice ou Londres.

Apesar do grau de ameaça terrorista em Portugal se manter moderado, a PSP sublinha que, em conjunto com a Câmara de Lisboa, “encontra-se a implementar no terreno medidas, que já estavam a ser pensadas há algum tempo, antes dos recentes atentados em Barcelona".

“FUGIR, PROTEGER, LIGAR"

A Polícia garante que estão a ser implementadas “soluções compatíveis com o acesso rápido para eventuais operações de socorro, em particular por parte dos bombeiros e ambulâncias”, e admite, no futuro, a colocação de barreiras de segurança noutros pontos da cidade.

No mesmo comunicado, a PSP aconselha três procedimentos em caso de atentado: “FUGIR, PROTEGER, LIGAR".

"FUGIR. Esta é a melhor opção para se proteger. Não tente enfrentar, não tente negociar. Se não conseguir… PROTEGER. Esconda-se, barrique-se num edifício ou estabelecimento até que as autoridades cheguem ao local. Quando em segurança… LIGAR. Use o 112. A sua descrição dos acontecimentos pode ajudar a polícia. Se estiver escondido, diga onde se encontra, isso vai facilitar o seu socorro.”

Coimbra, Albufeira e Portimão já têm medidas de segurança idênticas a Lisboa

As câmaras municipais de Coimbra, Albufeira e Portimão já implementam há algum tempo medidas de segurança nas vias públicas das suas cidades - que incluem pilaretes - e não consideram necessário reforçá-las.

Fonte da Câmara de Coimbra disse à agência Lusa que a autarquia adoptou, há algum tempo, medidas de segurança idênticas às tomadas agora por Lisboa em ocasiões que o justifiquem.

"A Câmara já tem aplicado, em eventos com concentração de muitas pessoas, a instalação de barreiras amovíveis e de betão armado, discretas, de forma a não criar o pânico", explica a mesma fonte.

Em Albufeira e Portimão, cidades com grandes aglomerados populacionais no Verão por causa do turismo, as autarquias não estão a ponderar adoptar medidas de segurança adicionais às existentes nas principais zonas pedonais, nomeadamente com a colocação de barreiras nas ruas, frisando que nessas zonas já existem restrições de trânsito.

De acordo com as autarquias, nas zonas pedonais com maior circulação de pessoas, além das restrições e interdições ao trânsito automóvel, existem há vários anos pilaretes e outras barreiras com vista a garantir a segurança das pessoas.

Plano de Segurança da Red Bull Air Race fechado

O Red Bull Air Race, que se realiza a 2 e 3 de Setembro nas margens do rio Douro, vai ser um dos maiores eventos do ano em Portugal. Um milhão de pessoas são esperadas por dia.

O presidente da Câmara de Vila Nova de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues, disse esta segunda-feira que o Plano de Segurança está “fechado”.

"Há um reforço de policiamento a todos os níveis. Acho que não teremos riscos de maior. Está tudo controlado. Aqui o grande risco não é o concelho. O grande risco é termos 600 mil pessoas por dia em Gaia e 400 mil no Porto. Portanto é um milhão de pessoas concentradas num núcleo que tem de estar absolutamente reservado", disse o autarca à margem da reunião de câmara.

Eduardo Vítor Rodrigues falou em "dispositivo de segurança impecável" que "mobiliza toda a gente", enumerando os bombeiros, polícia municipal, PSP e polícia de investigação e explicou que o plano foi fechado em articulação entre as Câmaras do Porto e de Vila Nova de Gaia.

O público vai poder acompanhar a acção nas margens do Douro em áreas de acesso livre, onde serão montados ecrãs gigantes.

O autarca de Gaia explica que está previsto o encerramento “de zonas de acesso de público mais massificado, um fechamento que não é feito apenas com redes ou grades mas com estruturas de betão de quatro toneladas e meia para evitar qualquer tipo de risco”.

“Trata-se de evitar o que temos visto em outras cidades que é a utilização de um veículo que aparentemente é um meio de locomoção e se transforma numa arma", disse Eduardo Vítor Rodrigues.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • lindava
    01 set, 2017 Porto 19:43
    Nas Mãos de Deus entregamos a segurança e a paz,não só aqui,mas no mundo inteiro! Tudo vai correr bem,o expectáculo será lindo,Boa sorte aos Pilotos e ao Publico em geral!Muita sorte também ás forças de segurança,confiamos no vosso trabalho!
  • Jose Simões
    29 ago, 2017 Guimarãraes 19:20
    ESTOU PERFEITAMENTE DE ACORDO COM OS SENHORES QUE ESTÃO A TRATAR DESTA ORGANIZAÇÃO DESEJO QUE TODO CORRA BEM PARA BEM DE TODOS DESEJO DO CORAÇÃO JOSÉ SIMÕES A NOSSA POLICIA É DAS MELHORES.
  • rosinda
    23 ago, 2017 palmela 00:25
    Por vezes costumo ler comentarios do facebook! Alguem escreveu por ai" quando a europa nao protege as fronteiras externas cai no ridiculo de ter de proteger cada rua! nao sei quem escreveu mas penso da mesma maneira!
  • Francisco
    22 ago, 2017 17:41
    Tanta garganta que o Presidente da Câmara Municipal de Lisboa teve, aquando da eleição de Trump, ao dizer que Lisboa era uma cidade que não construía barreiras, mas sim "pontes para a inclusão"... afinal teve que dar o dito por não dito !
  • Antonio
    22 ago, 2017 lisboa 17:24
    Fugir, Proteger e Ligar Bem fugir quando há hipótese de fugir, porque na maioria dos casos é tudo tao rápido infelizmente que pode-se estar no local errado á hora errada, infelizmente vivemos assim estejamos onde estivermos. Ligar para a Policia, bem vamos la ver, se esta não estiver muito ocupada a ver os rabos da estrangeiras, ainda podemos ter alguma sorte que apareçam rápido.
  • ac
    22 ago, 2017 lx 15:58
    Infelizmente são medidas para "português" ver. Não São suficientemente dissuasoras para evitar qualquer ataque terrorista. Medidas que eventualmente podem ser eficazes: Serviços secretos bem coordenados e eficazes, dialogando entre si e com todas as forças de segurança; leis menos permissivas relacionadas com a imigração evitando a entrada sem qualquer controlo de possíveis criminosos ou já condenados ; mais inspectores de Serviços de vigilância(SEF ) para possibilitar o controlo eficaz e a colocação fora do país de imigrantes ilegais ou já indiciados por crimes.; colocação de camaras de vigilância em todos os locais públicos sem qualquer restrição
  • Luis Rodrigues
    22 ago, 2017 Azambuja 08:45
    Passei ontem na Ribeira das naus e não vi nem um policia. O passeio não está protegido e os turistas são aos milhares concentrados junto ao rio. Temos tido sorte...
  • Cidadao...
    22 ago, 2017 Viseu 05:28
    Olhos bem abertos, os riscos estao sempre presentes, mas a vida continua.
  • 22 ago, 2017 02:06
    e em caso de sismo como e que fazem?
  • rosinda
    21 ago, 2017 palmela 23:25
    querem ver que agora as festas tornaram-se um artigo de primeira necessidade!

Destaques V+