Tempo
|
A+ / A-

“O ADN da Igreja está nas respostas corajosas”

15 jul, 2017 - 01:28 • Isabel Pacheco

Arcebispo Primaz de Braga, que celebra meio século de sacerdócio, diz que não conhece nenhum santo “amargurado, ácido e pessimista”.

A+ / A-

Mais que palavras é preciso acção, declarou esta sexta-feira o arcebispo Primaz de Braga, D. Jorge Ortiga.

O pedido foi feito na celebração das suas bodas de ouro sacerdotais, onde lembrou que “o ADN da Igreja” está nas “respostas concretas e corajosas” quando se opta por quem “sofre e vive com carências”.

“Não são as estruturas que salvam a Igreja. Há um ADN que nos diferencia, o de sermos um corpo de irmãos que se ama verdadeiramente e sem complexos”, acrescenta D. Jorge Ortiga.

O prelado de Braga alertou, ainda, perante uma assembleia de sacerdotes e bispos, para uma mudança de paradigma perante um “mundo que teima em ignorar a presença de Deus”, pedindo menos pessimismo e mais “olhos de misericórdia e de ternura”.

“Conhecemos, porventura, algum santo amargurado, ácido e pessimista? Que precisamos mais para sermos alegres do que a absoluta certeza de que Deus nos acompanha e o Espírito nos inspira?”, questiona D. Jorge que, durante a homilia, pediu sacerdotes “trabalhadores disponíveis e desprendidos” sem nada pretenderem ou esperarem “em troca”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+