Tempo
|
A+ / A-

Governo quer aumentar licença de parentalidade do pai de 15 para 20 dias

04 mai, 2017 - 20:46

A decisão foi comunicada por Eduardo Cabrita aos parceiros sociais na reunião desta quinta-feira.

A+ / A-

O Governo pretende aumentar, de 15 para 20, o número de dias úteis obrigatório de licença de parentalidade a gozar pelo pai, bem como criar regras específicas para o caso de bebés hospitalizados após o nascimento.

O ministro Adjunto, Eduardo Cabrita, afirmou aos jornalistas, após a reunião com os parceiros sociais em sede de Concertação Social, que propôs "o alargamento dos direitos de parentalidade, de 15 para 20 dias úteis, a gozar obrigatoriamente pelo pai".

No entanto, este alargamento do período obrigatório da licença do pai será acompanhado por uma diminuição também em cinco dias do período facultativo, pelo que a duração da licença de parentalidade global do pai se manterá nos 25 dias úteis.

Actualmente, a licença é de 15 dias úteis, que são obrigatórios, a que acresce um período facultativo de 10 dias úteis

De acordo com o documento que o ministro Adjunto entregou na quinta-feira aos parceiros sociais na reunião da Concertação Social, a licença de gozo obrigatório do pai passa a ser de 20 dias úteis e o período facultativo é reduzido e passa a ser de cinco dias úteis. Na prática, com a proposta do Governo, a licença parental continuará a ser de 25 dias se forem somados os dois períodos (o obrigatório e o facultativo).

A diferença é que o período obrigatório passará a ter cinco dias a mais e o período facultativo passará a ter cinco dias a menos.

Além disso, foi ainda proposto o alargamento da licença parental por internamento hospitalar da criança após o nascimento.

Relativamente aos casos em que a criança é hospitalizada à nascença, a lei actualmente prevê a suspensão da concessão do subsídio parental inicial.

O executivo pretende que, nestas situações, haja um alargamento da licença inicial correspondente ao período inicial de internamento da criança, com um limite máximo de 30 dias, uma alteração que deverá aplicar-se tanto no sistema previdencial como no sistema de solidariedade.

O governante acrescentou que, após a fase de audição dos parceiros, o Governo irá apresentar uma iniciativa legislativa sobre esta matéria na Assembleia da República.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • mendes
    04 mai, 2017 braga 22:07
    acho muito bem o pai nao deve ter 20 dias de ferias mas sim vinte anos para puder mudar as fraldas ao bebe
  • uomem
    04 mai, 2017 lisbon 22:02
    Também fica a valer para , quem tem mais que uma mulher !

Destaques V+