Tempo
|
A+ / A-

Papa convida Governo e oposição da Venezuela a acabar com a violência

30 abr, 2017 - 12:20

A oposição venezuelana tem convocado vários protestos para pedir a destituição de magistrados do Supremo Tribunal e a realização de eleições antecipadas. Já morreram perto de 30 pessoas.

A+ / A-
Venezuela. Papa apela ao fim da violência
Venezuela. Papa apela ao fim da violência

Veja também:


O Papa apelou ao diálogo na Venezuela, este domingo de manhã, e convidou o Governo e a oposição a porem um fim à escalada de violência.

Um dia depois de ter admitido a mediação da Santa Sé, Francisco falou do agravamento dos confrontos e dirigiu um apelo urgente para que sejam respeitados os direitos humanos.

“Não param de chegar notícias dramáticas sobre a situação da Venezuela e o agravamento dos confrontos com inúmeros mortos, feridos e detidos. Ao unir-me à dor dos familiares das vítimas, pelos quais asseguro orações de sufrágio, também dirijo um premente apelo ao Governo e a todos os sectores da sociedade venezuelana para que seja evitado o escalar da violência, sejam respeitados os direitos humanos e se procurem soluções negociados para a grave crise humanitária, social, política e económica, que está a levar a população ao limite”, afirmou no Vaticano, antes da recitação da oração do Regina Coeli.

O apelo acontece menos de 24 horas depois de o Papa ter admitido, durante o voo de volta a Roma vindo do Cairo, o regresso da Santa Sé ao papel de mediador na crise venezuelana – uma mediação que, Henrique Capriles, um dos principais dirigentes da oposição venezuelana, já rejeitou.

A contestação ao Governo do Presidente Nicolás Maduro e os actos de vandalismo e pilhagens nas últimas semanas já provocaram a morte a mais de 30 pessoas.

A Venezuela decidiu, entretanto, sair da Organização dos Estados Americanos, já após o Supremo Tribunal do país ter assumido, no final de Março, os poderes do Parlamento do país, vindo a recuar na decisão após declarações de condenação de várias instituições internacionais.

Além da crise política, o país sul-americano vive uma grave inflação e escassez de alimentos e medicamentos.

Aos milhares de fiéis presentes na Praça de S. Pedro, o Papa pediu que rezassem pela paz na Venezuela e na Macedónia.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+