Tempo
|
A+ / A-

Caixa. Costa justifica demora na publicação do diploma com negociações com Bruxelas

13 fev, 2017 - 13:12

Reacção às críticas de Marques Mendes, a partir da República Centro-Africana: "É um espírito criativo de ficção policial, mas não teve nada a ver com a realidade da vida política."

A+ / A-

O primeiro-ministro, António Costa, rejeitou, esta segunda-feira, as acusações de Marques Mendes de alegada manipulação da data de publicação do decreto que isenta os administradores da Caixa do estatuto do gestor público, justificando a demora com negociações com a Comissão Europeia.

As críticas do comentador da SIC Luís Marques Mendes "não fazem o menor sentido", disse o primeiro-ministro, António Costa, em declarações à agência Lusa, no final de uma visita aos militares portugueses na República Centro-Africana.

"É um espírito criativo de ficção policial, mas não teve nada a ver com a realidade da vida política. Não é assim que os órgãos de soberania se relacionam uns com os outros", afirmou Costa, sublinhando que o decreto foi sujeito a apreciação parlamentar.

Segundo António Costa, a demora na publicação do diploma em Diário da República teve a ver com a necessidade de concluir negociações com a Comissão Europeia.

"Estávamos na altura em plena fase de conclusão das negociações com a Comissão Europeia sobre o processo de recapitalização. Havia várias parcelas, uma tinha a ver com o estatuto do gestor público, outra com a possibilidade de capitalização. Em Julho chegámos a uma fase decisiva em que houve acordo quanto ao desenho do sistema", explicou o primeiro-ministro.

"Seria completamente absurda qualquer tentativa de esconder o que é óbvio, visto que as leis são publicadas em Diário da República e poderia sempre haver apreciação parlamentar, aliás como houve", acrescentou.

O comentador e ex-líder do PSD acusou no seu comentário semanal de domingo no jornal da noite da SIC o Governo de ter manipulado a publicação do decreto-lei que criou excepções para os gestores da Caixa Geral de Depósitos. Marques Mendes disse que o Governo atrasou a publicação para evitar alterações no parlamento.

“O Presidente da República promulgou no dia 21 de Junho, mas só foi publicado no dia 28 do mês seguinte, ou seja, o Governo congelou este decreto-lei, manipulou a data de publicação porque 28 de Julho é o início das férias da Assembleia da República. Ou seja, queriam diminuir o risco dos deputados se aperceberem”, acrescentou Marques Mendes.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • A Branco
    13 fev, 2017 Guarda 15:19
    Esta personagem pensa que os portugueses são todos estupidos , não tem nenhuma vergonha na cara ,teve um grande mestre o socas mas este não lhe fica a trás tenho vergonha de ter um governante no meu país deste calibre acho que mereciamos melhor .
  • Americo
    13 fev, 2017 Leiria 14:42
    Quem constrói a sua vida politica com "habilidades", foi assim no PS, foi assim na oposição e é agora na governo não me merece o mínimo de credibilidade, além da forma sobranceira e por vezes mal educada quando se refere a alguns adversários políticos.
  • Toninho Marreco
    13 fev, 2017 Alfarelos 14:25
    Pois claro . A culpa é da União Europeia ... Há gente que lhe custa muito a entender coisas tão fáceis de entender . Isto de ser primeiro ministro num país com gente tão difícil é um trabalho muito custoso . Lá isso é verdade ...
  • luis
    13 fev, 2017 14:17
    Nao há duvida este sr, sim porque para mim 1º ministros sao aqueles que ganham eleiçoes,tem sempre forma de fugir á verddade e tentar contornar os problemas, mas os portugueses embora os queiram fazer nao sao parvos e só se engana quem se deixa enganar. (MLABARISTA).
  • Luis
    13 fev, 2017 Lisboa 14:00
    Marques Mendes, direitalhopiteco Pafioso assumido está tranformado numa autêntica alcoviteira. Deve ser nomeado "Alcoviteiro Mor" do Reino. Deve evitar esbracejar quando fala para que o não promovam também a "Bobo Mor" do Reino.
  • Luis
    13 fev, 2017 Lisboa 14:00
    Marques Mendes, direitalhopiteco Pafioso assumido está tranformado numa autêntica alcoviteira. Deve ser nomeado "Alcoviteiro Mor" do Reino. Deve evitar esbracejar quando fala para que o não promovam também a "Bobo Mor" do Reino.
  • JULIO
    13 fev, 2017 vila verde 13:41
    Um PM que despresa a verdade não tem condições para governar FORA COM A GERINGONçA QUE DESPRESA A VERDADE

Destaques V+