A+ / A-
revista de imprensa

“Melhor resultado de sempre” nas quotas de pesca

14 dez, 2016 - 10:51

Começamos pelo nosso site, em rr.sapo.pt. Há boas notícias para o sector das pescas com o "melhor resultado de sempre" nas negociações que se prolongaram durante 16 horas em Bruxelas.
A+ / A-
Revista de Imprensa de temas europeus (14/12/2016)
Revista de Imprensa de temas europeus (14/12/2016)

final do conselho europeu das Pescas, já de madrugada, a ministra Ana Paula Vitorino confirmou “um acréscimo no total de 11% nos valores fixados por quotas, que vai corresponder a quase 121 mil toneladas que poderão ser capturadas em 2017”. Já esta manhã em declarações à Renascença, o presidente da Associação dos Industriais da Pesca falava de um acordo globalmente positivo. O próximo passo, diz Pedro Jorge Silva, é a renovação da frota pesqueira.

O “Jornal de Notícias” conta que há seis projectos nacionais que vão receber mais de 11,5 milhões de euros do Conselho Europeu de Investigação, cujo financiamento é feito ao abrigo do programa Horizonte 2020. Alexandra Marques, Ana Rita Duarte, Renata Basto, Sara Magalhães, Susana Chuva e Silvia Maeso. São nomes que reforçam a marca portuguesa na investigação científica de excelência apoiada por fundos europeus.

Viramos a página para o impasse em torno da adesão da Turquia à União Europeia. O jornal “Público” traz hoje uma entrevista a Can Dündar, é um jornalista turco – exilado na Alemanha desde Junho. Ele que passou por Estrasburgo para assistir à entrega do prémio Sakharov do Parlamento Europeu às duas mulheres da minoria yazidi que sobreviveram ao terrorismo do Daesh. Nesta conversa, Can Dündar considera que “com o trunfo dos refugiados, Erdogan tem os europeus de joelhos”. Este jornalista de 55 anos, que também esteve nomeado para o Prémio Sakharov, defende que “a União Europeia deve negociar” com Ancara. Porque “isolar o país não pune Erdogan, pune os democratas da Turquia”. Vale a pena a leitura desta entrevista nas páginas 24 e 25 do jornal Público.

Finalmente, conhecemos um estudo que confirma que Portugal é um dos países europeus onde é mais barato comprar casa e mais fácil obter autorização de residência. O ranking é elaborado pela revista “Business Insider” e confirma o nosso país como o terceiro mais apetecível para recomeçar. E esta é uma questão cada vez mais na ordem do dia depois da Grã-Bretanha ter optado pela porta de saída da União Europeia. Ora, à atenção dos britânicos mais abastados, a “Business Insider” explica que, no nosso caso, a autorização de residência no país requer a criação de um negócio com o mínimo de 10 postos de trabalho, transferir um milhão de euros para um banco português ou comprar uma casa no valor de meio milhão de euros.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.