Tempo
|
A+ / A-

Mais alunos no superior é "morte do modelo de desenvolvimento" da direita

11 set, 2016 - 14:34

António Costa reconhece que mais alunos nas universidades e politécnicos também traz mais responsabilidade para o Governo.

A+ / A-

O primeiro-ministro afirmou este domingo que o aumento de colocações no ensino superior registado este ano representa a "morte do modelo de desenvolvimento" sem "direitos, salários e Estado Social" que a "direita quis impor" e prova que há de novo esperança e confiança no país.

Em Braga, perante uma plateia de jovens numa iniciativa que marcou a 'rentrée' política da Juventude Socialista e onde salientou que o ano escolar arrancou com normalidade, António Costa admitiu que o aumento de matrículas no ensino superior é também uma "enorme responsabilidade" para o Governo.

"O aumento do número de alunos no ensino superior representa a morte do modelo de desenvolvimento que a direita quis impor neste pais, de um país sem salários, sem direitos e sem Estado Social", afirmou.

Para o líder do Governo, o aumento de colocações é também um "sinal de confiança no futuro, de que vale a pena aprender", porque, disse, "aprendendo sabe-se não só mais, como o país pode crescer mais".

"É a esses [alunos] que temos que responder, quando acabarem a licenciatura ou segundo ciclo, que valeu apena este esforço e que o país que têm é um país que não os empurra para a emigração, mas é um país que está de braços abertos para eles", justificou.

Ainda focado na Educação, o também secretário-geral do PS congratulou-se pelo início do ano escolar a "tempo e horas" e "sem trapalhadas" e ainda pela "normalidade do funcionamento das instituições".

Segundo o governante, este foi o primeiro ano em que não houve algum "conflito institucional" em relação à constitucionalidade de qualquer legislação.

"[Sublinho] uma coisa que em condições normais nem devia ser novidade: é que este ano o novo ano escolar está a abrir a tempo e horas e com total normalidade. Não temos nem as trapalhadas de 2014 nem os adiamentos para fingir que não havia trapalhadas em 2015", disse.

"Em 2016 o ano escolar abre normalmente sem trapalhadas", acrescentou.

Aliás, segundo o primeiro-ministro, "devolver a normalidade" ao país, baseada no respeito e cumprimento da Constituição da República Portuguesa, era uma das missões do seu Governo.

A 1.ª fase do concurso de acesso ao ensino superior público colocou 42.958 novos alunos nas universidades e politécnicos, um aumento de 2,1% em relação à mesma fase, em 2015, segundo dados da Direcção-Geral do Ensino Superior (DGES).

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Dora Roxo
    14 set, 2016 V. N.de Gaia 18:58
    Esquece-se que os que entraram agora fizeram o secundário no governo anterior...
  • A. FERREIRA
    12 set, 2016 OEIRAS 15:17
    Mas que dedução tão pacóvia. Mas é preciso empolgar os seus boys
  • Manuel Figueiredo
    12 set, 2016 Braga 13:21
    O homem está a tornar-se feroz. O sõcrates também era o homem feroz, mas para delapidar o dinheiro do Povo.Este começa a estar feroz porque começa o tempo de pedir responsabilidades pelo desastre que está acontecer na economia e finanças.Vejam os juros da dívida, sobe,sobe e onde vai parar.Os mercados estão ferozes também com costa e nós Portugueses sem culpa nenhuma. Quando começa a chegar a hora da verdade as pessoas ficam nervosas e a melhor defesa e disfarce é o ataque. Quem tem que atacar de pressa é o Povo para não ter que pagar outro resgate.Olhos bem abertos, malta!
  • Jorge
    12 set, 2016 Évora 02:39
    grandes médias....Grandes profissionais iremos ter!...
  • 11 set, 2016 22:11
    O Dr Costa está a ser desonesto! C Nada que não saiba... Aumenta a reforma em €50 e diz que aumenta a reforma! Povo, não se deixem levar por esta Sr.
  • Manuel
    11 set, 2016 Porto 21:53
    Querem ver que é por causa dele que há mais alunos a entrar no ensino superior? Presunção ou imbecilidade? ou ambas as coisas? e a frase seguinte quer dizer o quê? ..."aprendendo sabe-se não só mais, como o país pode crescer mais".
  • graciano
    11 set, 2016 alemanha 20:24
    memoria curta e sempre bom recordar a seguir ao 25 de abril mario soares gritava assim portugueses que estais no estrangeiro vinde embora porque aqui ha lugar para todos passado algum tempo ele dizia o pais esta a viver gracas as receitas dos imigrantes agora era bom que a esquerda nao caisse no mesmo erro de andar a enganar o povo
  • Antonio Almeida
    11 set, 2016 V.N. de Gaia 17:38
    PURA DEMAGOGIA. Quer dizer há mais alunos no ensino superior por causa do seu governo.Ou foi motivado pela politica do anterior governo?É que as políticas implementadas na educação que eu saiba têm resultados a médio ou longo prazo.Ó sr.Costa vá dar banho ao cão.
  • EU
    11 set, 2016 Daqui 16:21
    Tanta canalhada na universidade... Para depois viver do rendimento mínimo!!
  • Rui
    11 set, 2016 Lisboa 15:42
    O que é que vocês direitolas estão praticamente aí a pregar custa assim tanto ver a geringonça a funcionar e a procissão ainda vai no adro tão preocupados que o despesismo seja muito que o bolso da classe baixa média, o vosso favorito, não seja suficiente para esmifrar é.

Destaques V+