Tempo
|
A+ / A-

​Papa renova apelo de ajuda ao povo ucraniano

20 abr, 2016 - 11:34

Francisco assinalou também os 30 anos do desastre de Chernobil, exprimindo o seu reconhecimento aos que prestam socorro.

A+ / A-
​Papa renova apelo de ajuda ao povo ucraniano
​Papa renova apelo de ajuda ao povo ucraniano

O Papa renovou esta quarta-feira o apelo de ajuda à Ucrânia. Na habitual audiência geral, na Praça de S. Pedro, Francisco relembrou o conflito armado naquele país e apelou à generosidade dos católicos.

“A população da Ucrânia sofre há demasiado tempo as consequências de um conflito armado, esquecido por muitos. Como sabeis, convidei a Igreja na Europa a apoiar a minha iniciativa para ajudar nesta emergência humanitária”, disse, agradecendo depois a “todos quantos colaborarem generosamente nesta iniciativa que terá lugar no próximo domingo dia 24 de Abril”.

Francisco tinha anunciado no início de Abril a intenção de promover uma recolha de fundos para as vítimas do conflito que se arrasta desde Novembro de 2014, em particular no leste da Ucrânia, colocando em confronto grupos separatistas pró-russos e as forças de Kiev pelo controlo de território.

Na audiência geral, o Papa saudou ainda um grupo de sobreviventes da catástrofe da Central nuclear de Chernobyl, vindos da Ucrânia e da Bielorrússia, os dois países mais atingidos pela tragédia de 26 de Abril de 1986.

Francisco renovou as orações pelas vítimas, exprimindo o seu reconhecimento aos que prestaram socorro e a todas as iniciativas destinadas a aliviar o sofrimento e os danos provocados por aquele desastre nuclear.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+