Tempo
|
A+ / A-

​Nicolau Breyner “era perfeito”, diz realizador António-Pedro Vasconcelos

14 mar, 2016 - 21:25

António-Pedro Vasconcelos reage à morte de Nicolau Breyner. Era um actor que tinha uma grande paleta de emoções, recorda.

A+ / A-

O realizador António-Pedro Vasconcelos recorda Nicolau Breyner como um actor multifacetado, concentrado e perfeito.

“Era um actor que tinha uma gama, uma paleta de emoções. Era capaz de interpretar personagens dos mais cómicos e hilariantes aos mais dramáticos, ou fazer papéis de tipos sinistros, exactamente com a mesma qualidade e intensidade”, afirma o realizador em declarações à Renascença.

António-Pedro Vasconcelos dá o exemplo de um dos filmes em que os dois trabalharam juntos nos últimos anos.

“No mesmo papel, como no caso do filme ‘Os Imortais’, Nicolau Breyner passava de um registo a outro com uma facilidade enorme”.

O actor, sublinha o realizador, tinha uma grande capacidade de concentração.

“Entre dois ‘takes’ brincavam, contava anedotas, atendia o telefone e mal começava a acção ele estava lá. Era perfeito”, diz António-Pedro Vasconcelos.

O actor, realizado e produtor Nicolau Breyner morreu esta segunda-feira, aos 75 anos, na sua casa de Lisboa.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+