Tempo
|
A+ / A-

Pedro Mexia: "Não era fácil ver Nicolau Breyner no papel de vilão"

14 mar, 2016 - 18:06

Pedro Mexia compara Nicolau Breyner com Raul Solnado, uma figura “muito invulgar” que está ligado de forma umbilical à televisão portuguesa.

A+ / A-

“O que nos fica do Nicolau Breyner é esta ligação umbilical à televisão portuguesa e à ficção, não só à telenovela, mas também à comédia.

Todos nós nos lembramos do seu duo com o Herman José, da Vila Faia, a primeira telenovela portuguesa e marcante a vários títulos, do seu trabalho como produtor televisivo.

O segundo aspecto que a todos ocorre é que era um actor, uma pessoa, de quem todos gostavam. Não é fácil dizermos isso de muitas pessoas.

Mesmo quando ele fez algumas vezes de vilão, não era muito fácil vê-lo como vilão. Havia uma afectividade do público português para com Nicolau Breyner, tal como havia com outras figuras, como Raul Solnado, que era de facto muito invulgar.”

Esta é a transcrição de um comentário feito por Pedro Mexia à Renascença, de reacção à notícia da morte de Nicolau Breyner.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+