Tempo
|
A+ / A-

Morreu o maestro austríaco Nikolaus Harnoncourt

06 mar, 2016 - 15:47

"Uma era chegou ao fim”, diz o director da famosa sala de concertos Musikverein de Viena (Áustria).

A+ / A-

O prestigiado chefe de orquestra austríaco Nikolaus Harnoncourt morreu no sábado aos 86 anos, vítima de doença, informou a sua família este domingo.

"Nikolaus Harnoncourt morreu serenamente rodeado da sua família. A pena e agradecimento são grandes. Foi uma relação maravilhosa", assinala a mulher, Alice Harnoncourt, no curto comunicado citado pela agência noticiosa APA.

Em Dezembro, o maestro tinha anunciado a retirada profissional, devido a problemas de saúde. "Nunca esperei que entre a sua retirada do mundo dos concertos e a sua morte houvesse um período tão curto", afirmou o director da famosa sala de concertos Musikverein de Viena àquela agência.

"Uma era chegou ao fim", lamentou Thomas Angyan, acrescentando que Harnoncourt “era o original do seu original. Devemos continuar o legado musical que nos deixa".

Nikolaus Harnoncourt foi o maestro da sala Musikverein, da qual era membro de honra.

O conde Nikolaus de la Fontaine und d`Harnoncourt-Unverzagt nasceu em Berlim em 1929, mas passou a sua infância na cidade austríaca de Graz, onde muito anos depois criou o festival Styriate, que se realiza todos os anos.

Foi violoncelista da Sinfónica de Viena e professor de Interpretação na Universidade Mozarteum de Salzburgo.

O Concentus Musicus Wien, criado por Harnoncourt quando tocava violoncelo naquela orquestra, dedicou-se à interpretação de música barroca europeia em instrumentos de época e a partir de numerosos projectos de investigação, ajudando a revolucionar a interpretação desta música.

Como maestro trabalhou com os principais solistas e orquestras europeias e o seu trabalho discográfico abarca óperas, oratórios e obras sinfónicas dos séculos XVIII e XIX.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+