|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Óbitos

A+ / A-

D.A.M.A. sobre plágio. "Gostaríamos de ter algo a dizer quando vendem a nossa música"

23 jan, 2016 - 16:18

Francisco Maria Pereira, elemento da banda portuguesa D.A.M.A., comenta o alegado plágio da música "Não Dá" por um cantor holandês, Jeroen van der Boom.

A+ / A-
"Não Dá" vs "Overal waar ik ga". Descubra as diferenças
Mudámos o tom de "Overal waar ik ga" e juntámo-la a "Não Dá", dos D.A.M.A.. Descubra as diferenças

A polémica estalou no Facebook quando Francisco Maria Pereira, mais conhecido por "Kasha", partilhou na sua página o videoclip da canção "Overal waar ik ga", do holandês Jeroen van der Boom.

O elemento da banda retirou mais tarde a expressão "que nojo de pessoas", explicando naquela rede social que ficou revoltado por ver o seu trabalho copiado sem um pedido de autorização.

Numa mensagem enviada ao programa Top 25, da RFM, que a banda lidera esta semana, Francisco explica como vê o alegado plágio.

"Soubemos desta versão do 'Não Dá', o 'Overal waar ik ga', através de um amigo e percebemos que era muito parecida com o nosso 'Não Dá'. Ao início ficámos um pouco revoltados porque foi um colega nosso que usou a nossa linha melódica e o nosso instrumental sem nos pedir autorização. Nós também já fizemos versões de outras músicas, inclusivé da 'Balada do Desajeitado', mas pedimos autorização ao autor da música e ele beneficia de todos os direitos da música, achamos que é assim que deve ser".

Kasha disse à RFM (rádio do grupo r/com - renascença comunicação multimédia) que, depois de reflectirem sobre o assunto, os D.A.M.A. olham agora para a situação de uma forma positiva. "Nós não somos proprietários da nossa música, achamos que a nossa música é de toda a gente", afirma. No entanto, o músico diz que "gostariam de ter algo a dizer" quando outro artista quer fazer a sua versão e comercializá-la. "Gostaríamos de dar o nosso aval, que decerto seria concedido neste caso", garante.

"Acima de tudo, uma pessoa de outro país, sem perceber nada daquilo que nós dizemos está a pegar em alguma coisa que fizemos e isso deixa-nos cheios de orgulho", disse, numa mensagem aos fãs que os escolheram para o primeiro lugar do Top 25 da RFM.

Já em 2007, Jeroen van der Boom foi acusado de plágio: na altura foi o espanhol David Bisbal quem se queixou de semelhanças de um tema do holandês com o seu "Silencio".

Editora holandesa recusa acusação de plágio

Tom Peters, o director da editora de Jeroens, a NRGY MUSIC, nega a acusação de plágio. "Isso não é verdade! Jeroen ouviu esta canção na rádio em Espanha e fez uma versão holandesa", afirmou, em declarações ao jornal holandês De Telegraaf.

A editora diz ter tentado, "por todos os meios possíveis", encontrar a editora da música portuguesa para pedir permissão para fazer uma tradução. "Mas isto acabou por não ser possível, mesmo através da organização BUMA/Stemra" [organização de direitos musicais holandesa].

Peters adianta que, no lançamento do single, a NRGY Music fez subscrever o compositor oficial da música às organizações de direitos de autor. "Plágio é quando alguém se apropria de algo que não foi feito por si, sem mencionar a fonte ou o compositor, e isso de certeza que não aconteceu neste caso. A publicação de covers é normal. Há milhares de covers e grandes sucessos holandeses são adaptações de sucessos feitos noutros países", concluiu.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Vanda
    25 jan, 2016 Lisboa 16:49
    Só mesmo artistas tugas para se deixarem ficar, ah e tal "a música que fazemos é de toda a gente". Se fosse ao contrário, haviam de ver como é que lhes mordiam. Enfim, temos de ser sempre tansos em tudo.
  • PT
    24 jan, 2016 Barreiro 01:38
    "Nós também já fizemos versões de outras músicas, inclusivé da 'Balada do Desajeitado', mas pedimos autorização ao autor da música e ele beneficia de todos os direitos da música, achamos que é assim que deve ser". E leres o artigo?
  • AG
    23 jan, 2016 Lisboa 23:45
    E a música que lançou os D.A.M.A, a "Balada do Desajeitado" foi plagiada ou autorizada pelos Quadrilha? É que nunca se falou disso e agora fala-se desta situação...