Tempo
|
A+ / A-

D. Manuel sobre novo Governo: “O tempo é que demonstra o tempo”

26 nov, 2015 - 19:21

O Patriarca de Lisboa diz que o importante é que se trabalhe para o bem comum e diz-se disponível, enquanto cidadão e líder religioso, para esse desafio.

A+ / A-

O Cardeal Patriarca de Lisboa espera que o novo Governo pense sobretudo no bem comum e pede a todos os órgãos do Estado, que contribuam para a realização plena dos cidadãos.

No dia em que foi empossado o executivo socialista de António Costa, D. Manuel Clemente não quis comentar a realidade política, dizendo que “o tempo é que demonstra o tempo”, mas deixou claro a sua disposição para enfrentar os desafios que se colocam à sociedade.

“O que eu quero – enquanto cidadão – do Governo e dos outros órgãos de soberania, é que o bem comum aconteça”, disse.

Falando à margem do Congresso Nacional de Medicina, no Porto, o Patriarca de Lisboa explicou o que quer dizer por bem comum: “É o conseguir e aumentar todos os meios que permitam a realização plena de todos os cidadãos, sobretudo os que estão mais longe dessa realização plena.”

“O que eu quero enquanto cidadão e enquanto servidor de uma tradição religiosa que vai no sentido do bem comum é isso. Nessa frente, estamos todos aí”, garante D. Manuel.

Passavam dois minutos das 16h00 quando António Costa assumiu o compromisso de honra de cumprir "com lealdade" as funções de chefia do XXI Governo Constitucional e assinou o auto de posse, assinado em seguida também pelo chefe de Estado.

Estavam presentes na Sala dos Embaixadores do Palácio Nacional da Ajuda vários membros do executivo PSD/CDS-PP cessante, chefiado por Pedro Passos Coelho, que tomou posse há 27 dias, no mesmo local.

A tomada de posse do Governo do PS acontece 53 dias depois das eleições legislativas e 15 dias após o derrube do executivo PSD/CDS-PP na Assembleia da República pelos socialistas, BE, PCP, PEV e PAN, através da aprovação de uma moção de rejeição.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Pai Louco
    27 nov, 2015 Coimbra 12:28
    Senhor Cardeal sabia que: Há 4 coisas que não se recuperam: a pedra ... ... depois de atirada a palavra ... ... depois de proferida a ocasião ... ... depois de perdida o tempo ... ... depois de passado

Destaques V+