Tempo
|
A+ / A-

António Costa não quer "militares portugueses em combate no terreno"

16 nov, 2015 - 21:55

Líder do PS defende que há outras maneiras de "honrarmos os nossos compromissos internacionais e, porventura, formas mais adequadas".

A+ / A-

O secretário-geral do PS, António Costa, considera que Portugal não deve participar com tropas no terreno numa coligação internacional de combate ao Estado Islâmico.

“Há formas diversas, que não implicam o envolvimento directo de militares portugueses em combate no terreno, para honrarmos os nossos compromissos internacionais e, porventura, formas mais adequadas de o fazer”, afirmou António Costa, esta segunda-feira à noite, em entrevista à RTP1.

O líder socialista sublinha que a questão dever ser tratada “no momento oportuno e do modo institucionalmente adequado, que passa pelo envolvimento do senhor Presidente da República, do Conselho Superior de Defesa Nacional e da Assembleia da República”.

O Presidente francês, François Hollande, vai pedir à União Europeia a activação de uma cláusula de protecção mútua que está prevista no tratado da União, que prevê que, em caso de ataque a um estado membro, os restantes vão em seu auxílio.

O pedido de ajuda acontece na sequência dos atentados terroristas de sexta-feira à noite, em Paris, que provocaram 129 mortos, entre os quais dois portugueses.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Patrícia Torres
    17 nov, 2015 Viseu 13:31
    Lá vem este com mais um bitaite balofo. Se sabe tão bem como se deve resolver a questão, que o diga, nao faça caixinha. Vá ter com o amigo Hollande e dê-lhe a sugestão, que o homem bem precisado anda. Há gentinha que dá tudo para aparecer no "boneco", valha-lhes santo ambrósio. Seja para o que for, nem que seja para dizer umas vacuidades sobre assuntos trágicos. Aparecem a debitar umas "inoquices" como se fossem uns iluminados e os outros uns pacóvios. Recato precisa-se, e Costa anda mesmo a precisar de um ou outro conselho nesse sentido.
  • Jopinto
    17 nov, 2015 Amadora 13:03
    b Boa camarada Costa. Já fala como um verdadeiro homem dos ultra esquerdas. Peace and love. Proteção ao EI!. Proteção aos legitimos cidadãos da EI. Proteção às fronteiras da EI. Lutar com todas as forças do Estado para proteger o legitimo direito dos cidadãos da EI rscolherem a sua religião e política, inclusivé a internacional. Estimular a divulgação e reconhecimento internacional dos legitimos métodos da inovadora diplomacia dos EI. FORÇA CAMARADA COSTA. Tenha vergonha nessa cara e lembre-se que fala pelo maior partido português.
  • jose gomes
    17 nov, 2015 Lisboa 08:28
    Para aqueles que concordam que Portugal deve participar com tropas no terreno, então proponham que enviem os seus filhos, netos e até eles próprios....porque não?
  • sa dias
    17 nov, 2015 08:14
    SÓ o que o Dr Costa diz,pensa e faz, passando por cima dos seus camaradas de partido, é que está bem feito. Há muitos socialistas que não pensam como ele. Sr Costa governe a sua casa, porque a sua casa tem segurança 24 horas por isso canta de galo
  • Luis Pinto
    17 nov, 2015 07:28
    Lembro que morreram Portugueses nestes atentados a pessoas inocentes e sem meios de defesa. Estes terroristas querem atacar as nossas liberdades o nosso modo de vida. Vivem a custa dos paises desenvolvidos. Claro que Portugal tem a obrigação de lutar para acabar com estes terroristas. Qual negocio? Mentes fracas que vêm o que não há. Quem destrui Portugal foi o PS só um cego é que não vê. E se os atentados fossem em Portugal, faziamos como os Franceses e pediamos ao mundo para acabar com o terrorismo
  • Jose Seco
    17 nov, 2015 Lisboa 05:43
    O povo adorou e adora o Passos! Quanto mais ele destrói o país enquanto se governa a si próprio e aos seus amigos mais o povo gosta! Os franceses deitam-se no chão a rir com a atitude política do povo português! Sobre a questão de enviar tropas é subjectivo, depende. Mas que anda muito negocio no meio disto tudo ninguém duvide!
  • Paulo Cordeiro
    17 nov, 2015 cacém 02:31
    concordo plenamente. porque razao haviamos de enviar tropas pro oriente, regiao com a qual nao temos afinidade nenhuma? so se fosse pra defender as politicas do premio nobel da paz, o senhor barack omama. é que quem criou esse pseudo estado foi a naçao dele! entao sim, va la ele que eu quero ficar no quentinho do sofa. ja agora e so pra que se saiba, sou cidadao PORTUGUES e servi na marinha! e declaro que embora esteja na reseva dada a minha idade, se sentir alguma ameaça á minha familia, regiao, povo, nao hesitarei em pegar numa pedra, num tacho num canivete pra vos defender.mas por agora, sim.... vou ficar no sofa a assistir ao desenrolar dos erros sucessivamente cometidos pelos libertadores do mundo!
  • Jose adelino soares
    17 nov, 2015 matosinhos 01:36
    o discurso politico parece uma geringonça..
  • Paulo Silva
    17 nov, 2015 Vila do Conde 00:51
    Bem... parece-me que o Costa já começou a obedecer aos outros dois estarolas da esquerda. Nada de "NATO´s"
  • 16 nov, 2015 23:39
    Há outras maneiras sim senhor... é demitir-se e dar o lugar a quem ganhou as eleições. Vai-te embora COSTA!

Destaques V+