A+ / A-

Jerónimo. PCP não vai respeitar o Tratado Orçamental

29 out, 2015 - 22:18

Líder comunista refere que PS/BE/PCP continuam a “procurar convergências e aproximações”, fala em “política duradoura”, mas não garante legislatura.

A+ / A-

O PCP não vai respeitar o Tratado Orçamental, garante o secretário-geral do PCP. Jerónimo de Sousa não coloca essa hipótese mesmo que seja apenas de forma temporária, para apoiar o Governo que entrar em funções.

Em entrevista à SIC Notícias, o secretário-geral comunista afirma que não se pode insistir no erro. “O problema não está no erro, está em persistir no erro. Obviamente que nós não fazemos isso [respeitar o Tratado Orçamental]”, disse.

Num momento em que prosseguem as negociações para um acordo à esquerda para o apoio a um governo PS, Jerónimo de Sousa também admitiu a possibilidade de se reverem as metas do défice.

“Não podem ser os salários, as pensões e as reformas, não podem ser os direitos dos trabalhadores, não pode ser a limitação do direito à saúde ou à educação como forma de tentar reduzir o défice ‘a mata cavalo’ em conformidade com aquilo que está reflectido na governação económica e no tratado orçamental. [A revisão do défice] é uma questão que está colocada”, acrescenta.

"Política duradoura"

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, não esclarece se o acordo com o PS é para a legislatura. Em entrevista à SIC, o líder comunista referiu, apenas, que o entendimento será para uma política duradoura.

“Existe uma maioria de deputados que estão em condições bastantes para a formação de um Governo da iniciativa do PS para entrar em funções, apresentar o seu programa e consequentemente adoptar uma política duradoura”, disse.

Jerónimo de Sousa afirmou, ainda, que a negociação continua, sobre temas como salários, reformas e acesso à saúde e educação.

“O grande desafio que se coloca é saber que conteúdos de política é que existem. Aquilo que estamos a fazer é procurar convergências e aproximações em relação a coisas muito concretas de salários, de reformas e pensões, de devolução daquilo que foi roubado a quem trabalha ou trabalhou”, acrescentou.

[actualizado às 23h14]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Vera
    30 out, 2015 Palmela 20:16
    Sr. Jerónimo, ouviu o que a Zita disse! ela tem razão! Lembre-se do velho ditado: " Vale mais um pássaro na mão, que dois a voar" e olhe que estes, são dois passarões, que voam mais alto que o vento! veja se, se deixa de mazelas e entra na porta certa 'in Socialismo': Catarina e Costa estão à sua espera, vá pense rápido! não deixe que os outros o impeçam de pensar, siga o que lhe vai na alma, o Sr. é honesto! diferente dos seus camaradas, que na maioria pensam que valem tudo... Lembre-se de 'Fernando Pessoa': "tudo vale a pena, quando a alma não é pequena" e quando temos pouco, 'do pouco se pode fazer muito', se o Sr. Jerónimo se negar, o país não vai avançar e o Sr. já está quase no fim da fila, por isso não tem nada a perder! perdemos o escudo, mas pense, que neste momento sem o euro, mais ninguém nos acode! lembra-se quando íamos a Badajoz comprar caramelos e prendas para as crianças, na altura do Natal? porque lá, comprávamos tudo por metade do preço? Pois agora, os espanhóis também têm a moeda única! Não devíamos ter entrado! agora, não devemos sair, por enquanto! Temos que dar tempo ao tempo! e não devemos cruzar os braços a ver o tempo passar... Eu só tenho um partido: Portugal Cumprimentos.
  • Tuga
    30 out, 2015 País do faz de conta 19:07
    Ou seja, Costa está entalado e enganado e ficou a nu a sua intenção! Beneficio próprio, à custa do esforço dos contribuintes! Não é Jerónimo de Sousa que engana os seus eleitores. é Costa! É claro como a água que o único consenso na esquerda é inviabilizar um governo vitorioso, nem que para isso se mande a economia e o esforço feito por quem trabalha e paga impostos para o maneta! Estes partidos PCP e BE estão a fazer o seu papel, já o PS????????????? Ah, já sei!! Está a ganhar tempo para o regresso do todo iluminado e narigudo socratico
  • Carlos Carvalho
    30 out, 2015 Sintra 10:32
    Sem dúvida que devolver à aqueles que ganham mais de 1500,00€ /mês , está certo e o que pretendem fazer com os que ganham o mínimo ou pouco mais que isso? não à nada a repor pelo que deve estar tudo certo também .
  • zita
    30 out, 2015 Lisboa 07:57
    O que diria este sujeito se tivesse ganho as eleições, não por mais 6%, mas apenas por mais um voto e se visse privado de sequer fazer parte do governo? cairia por certo, o Carmo e a Trindade, mas abre-se um precedente, vai chegar a altura em que vai ganhar o PS e o PSD e CDS, vão ter mais representantes na Assembleia da República e aí a formação do governo vai depender, não dos resultados eleitorais, mas da vontade do Presidente da República à altura. Mas este não era o sujeito que dizia em campanha eleitoral que PS, PSD e CDS, era tudo farinha do mesmo saco? Saco onde ele sempre ambicionou estar e o POVO de quem ele tanto fala, nunca lhe deu essa confiança, porque terá sido? Só de assalto ou à boleia alguém chega a um governo sem ganhar eleições. Será que pensam que pensam que podem distribuir a famosa "almofada financeira" de que o governo falava que tinha, até às novas eleições para assim chegarem ao poder legitimamente? Já que desta vez, a legitimidade é "0". já dizia a minha avó "pela língua morre o peixe". Com que então farinha do mesmo saco tu também "ó" Jerónimo.
  • Manuela
    30 out, 2015 Lisboa - Portugal 02:05
    Quando Deus distribuiu a riqueza pelo mundo, deu a uns ouro, a outros diamantes, a outros ferro, ou cobre, ou petróleo... A nós Portugueses deu-nos uma terra fértil para ser cultivada e dela tirarmos tudo o que é necessário para a nossa alimentação e para alimento dos animais e aves que nos servem para consumo! além disso temos uma zona costeira de Norte a Sul rica em peixes, vários! e ainda os rios... O que queremos mais??? Falei do que Deus nos deu e agora eu falo do homem, aquele que gosta de ser doutorado (faz muita falta, gente doutorada), senão éramos um país de palermas!!! mas! e aqueles que não querem ser doutorados, aqueles que gostam de trabalhar na lavoura e na faina da pesca? então! esses (fazem nos muita falta, também!!!) então! lembrem-se que sem eles, ninguém tem alimentação! Importamos??? então compramos aos outros e desperdiçamos o que Deus nos deu? Então somos um país de gente estúpida!!! porque isso, dá-nos pobreza: ficamos sem alimentos para nós e sem os alimentos que nos sobram, para exportar para outros países, que não têm terra fértil como a nossa e que precisam dos nossos alimentos! e que nos podem fornecer matéria prima, que nós não temos, para fazer electrodomésticos, computadores, automóveis, aparelhos para radiologia, para os blocos operatórios e para outros tantos,fins. Dito isto, é preciso, aproveitarmos a nossa matéria prima, principal, que é a terra (terrenos de cultivo) e nada nos faltará! Precisam-se: 'Homens' e não de 'Partidos Políticos'.
  • veld
    29 out, 2015 PORTO 23:12
    Senhor Presidente (Secretário) do PCP. Esqueça por favor pequenos desencontros políticos com o partido Socialista e ajude, por favor, juntamente com o Bloco à formação de uma esquerda unida. Eu ainda me lembro dos tempos do Fascismo, antes de 25 de Abril de 1974. Lutei para que Portugal mudasse e se tornasse num país mais justo e digno de todos os portugueses, isso foi interrompido em 2011. É tempo de, mais uma vez, mudarmos o regime. Estes governantes da coligação de direita representam, exatamente, o regresso ao passado.

Destaques V+