A+ / A-

Mais de 700 mil querem invadir Área 51, à procura de extra-terrestres

13 jul, 2019 - 22:55 • Redação com Lusa

Uma aparente brincadeira no Facebook está a tomar proporções em larga escala. Porta-voz da Força Aérea dos EUA "desaconselharia" todos a visitar a base militar.

A+ / A-

Mais de 720 mil pessoas confirmaram, nas redes sociais, a intenção de invadir a misteriosa Área 51, uma zona militar em que as forças armadas dos EUA guardariam provas de vida extraterrestre, como apontam várias teorias desde há décadas.

“Assaltemos a Área 51. Não nos podem parar a todos" é o lema desta curiosa iniciativa que está marcada para 20 de setembro.

"Vamos encontrar-nos no Centro Turístico Alienígena e coordenar a nossa entrada. Se entrarmos à bruta, podemos mover-nos mais rapidamente que as balas", segundo a convocatória, que conclui de forma concludente: "Vamos ver os alienígenas".

A iniciativa suscitou, além de uma surpreendente adesão, uma série de 'memes' com imagens de homenzinhos verdes e diversos símbolos da cultura 'freak', como o personagem Sheldon Cooper, da série Big Bang Theory.

A designada Área 51 é um terreno militar situado em pleno deserto do Nevada, que está envolvida desde há anos, devido ao secretismo que a rodeia, num halo de mistério que tem motivado numerosas teorias extravagantes.

Uma das mais generalizadas é a de que o governo norte-americano usou este terreno militar para esconder provas de vida extraterrestre.

De facto, o governo norte-americano nunca reconheceu a existência desta instalação militar até agosto de 2013, quando a CIA desclassificou uma série de documentos que confirmavam a existência desta base militar.

Aquela teoria sustenta, entre outros pontos, que foi para ali que se transferiram os restos de uma alegada nave extraterrestre, que se tinha despenhado em Roswell, no Estado do Novo México, em julho de 1947.

Em declarações ao The Washington Post, na sexta-feira, a porta-voz da Força Aérea dos EUA, Laura McAndrews, afirmou que as autoridades estão a par desta iniciativa, embora não tenha especificado como irão responder se alguns dos entusiastas chegarem à zona em setembro.

McAndrews destacou que a Área 51 é um campo de treino da Força Aérea dos EUA, por isso "desaconselharia" todos os que queiram tentar entrar na área militar.

"A Força Aérea dos EUA está sempre pronta para proteger os Estados Unidos e suas estruturas", assegurou a representante oficial.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.