A+ / A-
Fraude

Banco Best alerta clientes para tentativa de burla

12 jul, 2019 - 19:28 • João Pedro Barros

Pretensos colaboradores da instituição bancária estarão a tentar vender cartões de crédito inexistentes.
A+ / A-

O Banco Best avisou esta sexta-feira os seus clientes, através de correio eletrónico, para uma alegada tentativa de burla, que foi reportada por “clientes e não clientes”, apurou a Renascença junto de fonte da instituição bancária.

As chamadas telefónicas fraudulentas destinar-se-ão à “venda de cartões de crédito” e os autores das chamadas apresentam-se como colaboradores do Banco Best.

Numa comunicação aos clientes, o Best divulga mesmo o número de onde são feitas as chamadas e frisa que é impossível que sejam originárias do próprio banco.

“O Banco Best confirma que não efetua quaisquer contactos promocionais relativos a cartões de crédito ou quaisquer outros produtos ou serviços bancários através do referido número de telemóvel, pelo que deverá ignorar o mesmo”, pode ler-se.

Fonte do banco disse à Renascença não ter mais dados sobre esta situação, encaminhando os clientes para os conselhos que constam do email: “Alertamos que não deve fornecer quaisquer dados bancários ou outros dados confidenciais a supostas entidades que o contactem, por exemplo, através de telefone, SMS, e-mail ou redes sociais. Desconfie sempre de contactos de alegado suporte/serviço de apoio ou de informação que não solicitou. Não deve, ainda, prosseguir com qualquer tipo de ação sugerida no âmbito desses contactos, como por exemplo, efetuar pagamentos, aceder a sites de qualquer tipo ou fornecer quaisquer dados pessoais ou bancários”.

O Banco Best pertence ao Grupo Novo Banco e aposta numa estratégia ancorada no relacionamento com os clientes pela via digital e na gestão de investimentos e “trading”.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.