A+ / A-

​Novo naufrágio ao largo da Turquia faz 12 mortos

17 jun, 2019 - 15:47 • Redação com Lusa

A Turquia, que acolhe cerca de quatro milhões de migrantes e refugiados, a maioria dos quais sírios, é um importante país de transição para aqueles que fogem dos conflitos do Médio Oriente e pretendem chegar à Europa.

A+ / A-

Pelo menos 12 pessoas morreram esta segunda-feira no naufrágio de uma embarcação que ligava a costa da Turquia à ilha grega de Kos. A informação está a ser avançada pelas agências internacionais, citando fonte da Guarda Costeira turca

Os corpos foram encontrados na costa da Turquia, de acordo com a mesma fonte, que adiantou ter conseguido resgatar outros 31 migrantes com vida.

O naufrágio aconteceu perto do cabo de Hüseyin Burnu, na região turística de Bodrum (província de Mugla), a cinco quilómetros de Kos, adiantou a agência turca de notícias Anadolu.

As autoridades foram alertadas às 7h20 (5h20 em Lisboa), tendo a guarda costeira referido que testemunhas no local apontaram para a presença de 40 pessoas a bordo.

Dois navios da Guarda Costeira turca, um helicóptero e uma equipa de mergulhadores foram chamados e conseguiram resgatar 31 pessoas com vida.

Até ao momento, não há informação sobre a procedência dos migrantes.

A Turquia, que acolhe cerca de quatro milhões de migrantes e refugiados, a maioria dos quais sírios, é um importante país de transição para aqueles que fogem dos conflitos do Médio Oriente e pretendem chegar à Europa, sobretudo através da Grécia.

Um acordo controverso entre a União Europeia e a Turquia, assinado em 2016, permitiu reduzir o número de pessoas que chegam às ilhas gregas por barco.

Este número chegou aos 875.000 em 2015, mas baixou significativamente para 40.000 por ano em 2017 e 2018, segundo a agência europeia Frontex.

Desde o início deste ano, pelo menos 555 pessoas morreram a tentar atravessar o Mediterrâneo para chegar à Europa, segundo a Organização Internacional para as Migrações.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.